Reprodução
Reprodução

EI divulga vídeo no qual menor degola rebelde sírio

O menino de origem africana fala em inglês e ameaça os Estados Unidos

O Estado de S. Paulo

05 de fevereiro de 2016 | 07h00

BEIRUTE - O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) divulgou nesta quinta-feira um vídeo na internet com a suposta decapitação de um dirigente religioso dos rebeldes sírios pelas mãos de um menor recrutado pelos radicais.


O assassinato aparece nos últimos minutos da gravação, cuja autenticidade não pôde ser comprovada, e nela se vê como um menor de origem africana degola sua vítima, identificada como Mohammed Abdelaziz Tabsho, responsável religioso da opositora Frente do Levante.

Antes de matá-lo em um local ao ar livre, o menino afirma em inglês, dirigindo-se aos Estados Unidos: "América, estes são os soldados que você arma e com quem gasta seu dinheiro. Nós os destruiremos".

O "filhote do califado", como os terroristas denominam os menores que recruta, desafia então os Estados Unidos a enviar forças terrestres.

"Gostaria de encontrar vocês nas Colinas de Dabiq", afirma em referência a essa cidade da província síria de Aleppo, onde algumas profecias apocalípticas islâmicas predizem que ocorrerá o fim dos tempos no enfrentamento entre os muçulmanos e seus inimigos.

Em seguida, o menor degola Tabsho, que aparece vestido com um macacão laranja, como o EI costuma vestir suas vítimas, segundo mostra o vídeo, de cerca 17 minutos de duração, obtido pelo grupo Site, que monitora as páginas na internet de grupos jihadistas.

Nas primeiras sequências se vê uma suposta confissão antes de morrer do dirigente da Frente do Levante, que afirma que sua organização recebeu apoio dos Estados Unidos.

A gravação foi divulgada pelo escritório de informação do EI em Aleppo, província onde atua a Frente do Levante, um agrupamento de facções armadas que luta contra o Estado Islâmico e contra as forças do regime sírio. / EFE
Tudo o que sabemos sobre:
EISíriaSitedecapitação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.