AFP
AFP

EI reivindica ataque suicida contra mesquita na Arábia Saudita

Terrorista suicida detonou cinturão com bombas na entrada de templo religioso xiita em Damman, no leste do país

O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2015 | 16h14

RIAD - O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria de um ataque suicida nesta sexta-feira, 29, contra uma mesquita xiita na cidade de Damman, no leste da Arábia Saudita. Quatro pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas no atentado.

Em comunicado divulgado nas redes sociais, o EI disse que o ataque teve como alvo um dos "grandes antros do politeísmo na península Arábica", e destacou o "heroísmo" do responsável pelo ataque, identificado como Abu Yandal al-Yarzraui. O grupo terrorista também condenou a dinastia da família Saud e convocou os moradores do país a apoiarem uma "limpeza dos xiitas" das cidades santas de Meca e Medina.

Este foi o segundo ataque do EI na Arábia Saudita em uma semana. Na última sexta-feira, o grupo havia atacado outra mesquita xiita, também no leste do país.

O porta-voz do Ministério do Interior saudita, general Mansur al-Turki, explicou em comunicado que as primeiras investigações indicam que o terrorista, vestido como uma mulher, detonou um cinto repleto de explosivos na entrada da mesquita - estratégia similar usada pelo grupo na semana passada na mesquita em Qadih, na província de maioria xiita de Qatif.

Este ataque, que matou 21 pessoas e deixou mais de uma centena de feridos, foi o mais grave contra os xiitas sauditas na última década.

Em novembro do ano passado, uma gravação atribuída ao líder do EI, Abu Bakr al-Baghdadi, convocou uma guerra na Arábia Saudita e pediu aos sauditas para se rebelarem contra os xiitas de seu país, a família governante e o Exército.

O Irã e os movimentos xiitas dos diferentes Estados árabes acusam o governo sunita da Arábia Saudita de apoiar os grupos extremistas em países em crise, como a Síria e o Iraque, para criar um contrapeso às milícias xiitas que lutam a favor desses regimes.

Iraque. O Estado Islâmico também assumiu nesta sexta a autoria de outro atentado, realizado na quinta-feira na capital iraquiana, Bagdá. Na ocasião, dois carros-bomba foram detonados nos estacionamentos de dois hotéis cinco estrelas. Segundo as autoridades iraquianas, dez pessoas morreram.

De acordo com a polícia, um dos veículos explodiu no estacionamento do Cristal Hotel, antigo Sheraton. Nesse atentado, 4 pessoas morreram e 13 ficaram feridas. Um segundo veículo foi detonado no estacionamento do Babylon Hotel, matando 6 pessoas e ferindo outras 14.

O EI afirmou que um terrorista suicida chamado Abu Qutaiba estacionou um veículo no primeiro alvo e depois levou outro carro, com 230kg de explosivos, até as imediações do hotel Babylon. / EFE e REUTERS


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.