Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Sergey Ponomarev/The New York Times
Sergey Ponomarev/The New York Times

EI toma última passagem de fronteira síria com o Iraque sob poder de Damasco

Forças de segurança dos dois lados da passagem, chamada Al-Waleed no Iraque e Al-Tanf na Síria, confirmaram que suas tropas se retiraram do local

O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2015 | 18h01

LONDRES - O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), organização que monitora o conflito na Síria, afirmou nesta quinta-feira, 21, que o Estado Islâmico passou a controlar a última passagem de fronteira entre a Síria e o Iraque controlada por Damasco. Em junho do ano passado, o grupo declarou a criação de um califado abrangendo os territórios que controla nos dois países. 

Forças de segurança dos dois lados da passagem, chamada Al-Waleed no Iraque e Al-Tanf na Síria, confirmaram que suas tropas se retiraram do local. Não estava claro quando isso ocorreu. Um combatente do EI ouvido pela agência Reuters confirmou que o grupo passou a ter o controle sobre a passagem de fronteira, que está a 240 km de Palmyra, conhecida como Tadmur em árabe - ambas na Província de Homs. 

O grupo já controla a passagem entre a província síria Deir al-Zor e a iraquiana Anbar. Uma outra passagem fronteiriça, no norte da Síria, está sob o controle de combatentes da milícia curta YPG.  

O Observatório afirmou nesta quinta-feira, mais cedo, que menos de uma semana depois de infligir uma derrota estratégica às forças iraquianas, com a tomada da cidade de Ramadi, o Estado Islâmico já tem sob seu poder mais de 50% do território da Síria. Palmyra foi tomada pelo grupo das forças sírias na quarta-feira. 


Ainda nesta quinta-feira, no Iraque, os jihadistas derrotaram forças do governo a leste da cidade de Ramadi, tomada no domingo, segundo policiais e combatentes tribais pró-governo. A linha defensiva foi rompida em Husaiba, que fica a cerca de 10 km da cidade, depois que membros do grupo radical intensificaram os disparos de morteiros e foguetes.

"A situação é muito crítica agora que os combatentes do Daesh (termo árabe depreciativo para o Estado Islâmico) conseguiram romper nossa linha defensiva em Husaiba", afirmou o major da polícia Khalid al-Fahdawi. "Recuamos para a parte leste da área e estamos esperando mais reforços e ataques da Força Aérea para deter o avanço do Daesh."

Ramadi caiu nas mãos dos insurgentes no domingo, o revés mais significativo para as forças de segurança iraquianas em quase um ano. O progresso do Estado Islâmico expôs as fraquezas do Exército do Iraque e as limitações da ofensiva aérea americana.

O Estado Islâmico quer consolidar suas vitórias na vasta província desértica de Anbar, da qual Ramadi é a capital, onde só partes do território continuam sob controle do governo. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.