El-Baradei desqualifica denúncias contra o Iraque

O chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed El-Baradei, encarregado de realizar as inspeções sobre armas nucleares no Iraque, fez hoje seu pronunciamento mais forte em defesa da cooperação iraquiana. El-Baradei também desqualificou informações dos serviços de inteligência dos EUA, dizendo que os tubos de alumínio considerados ?suspeitos? pelos americanos definitivamente não poderiam ser usados em equipamento para refinar urânio com fins bélicos. ?Extensas investigações de campo e análises de documentos não revelaram qualquer evidência de que o Iraque pretendesse usar esses tubos de 81 mm para qualquer projeto diferente de engenharia reversa em foguetes?, disse El-Baradei. Ele também informou, perante o Conselho de Segurança (CS) da ONU, que a AIEA não encontrou nenhuma evidência de que o Iraque tenha tentado comprar urânio do Níger.?Baseada em uma análise exaustiva a AIEA concluiu, com a concordância de especialistas independentes, que documentos que formam a base das notícias de transações recentes entre o Iraque e o Níger são, de fato, falsos?, afirmou. ?Concluímos, portanto, que essas alegações específicas são infundadas?.?Nas últimas três semanas, possivelmente como resultado da crescente pressão da comunidade internacional, o Iraque tem avançado em sua cooperação?, afirmou o chefe da AIEA. ?Espero que o Iraque continue a expandir o escopo e a acelerar o passo da cooperação?.?Após três meses de inspeções intrusivas, até o momento não encontramos nenhuma evidência ou indicação plausível de uma retomada do programa de armas nucleares do Iraque?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.