El-Baradei quer mais tempo e mais inspeções

Enquanto preparava seu relatório para a reunião de amanhã de Conselho de Segurança (CS) da ONU, o principal inspetor internacional de armas nucleares, Mohamed El-Baradei, disse que as inspeções em solo iraquiano deveriam continuar por mais alguns meses, porque ?estamos fazendo progressos?.?Ainda estamos no meio do caminho, estamos fazendo progressos, e não vejo motivos para interromper as inspeções?, disse El-Baradei à Associated Press durante o vôo de Viena a Nova York. Mohamed El-Baradei é o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), da ONU, e nesta sexta-feira apresentará ao CS seu relatório sobre os resultados do segundo mês de inspeções no Iraque. Hans Blix, o principal inspetor para armas químicas e biológicas, também comparecerá perante o Conselho de Segurança amanhã. Dependendo do que disseram, os relatórios de Blix e El-Baradei poderão dar margem a uma ação militar contra o Iraque.El-Baradei evitou comentar detalhes de seu relatório.Ele apenas deu a entender que iria pedir mais tempo, reiterar que a equipe da AIEA precisa de meses para completar a missão - uma visão a que o governo Bush se opõe.Segundo o diretor-geral da AIEA, ainda estão em aberto, no que diz respeito ao programa nuclear iraquiano, questões sobre importações de urânio, contrabando de tubos de alumínio e de outros componentes que poderiam ser usados em armas.El-Baradei identificou ?preocupações? de seus inspetores no que diz respeito a ?questões de tubos de alumínio, à questão da importação de magnetos, e à questão da importação de fibra de carbono?, além da compra de urânio.Os magnetos, a fibra de carbono e a tubulação de alumínio poderiam ser usados em centrífugas para a produção de combustível para ogivas nucleares, de acordo com os especialistas da AIEA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.