El Baradei quer negociação sobre questão nuclear do Irã

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed El Baradei, advertiu nesta segunda-feira que um confronto sobre o programa nuclear iraniano poderia ser "contraproducente" e pediu a todas as partes a voltarem à mesa de negociação. O Conselho de Governadores da AIEA se reúne a partir desta segunda-feira em Viena para discutir o programa nuclear iraniano, do qual os EUA e a UE suspeitam ter como objetivo a produção de armas atômicas. O responsável da agência nuclear da ONU acrescentou que enviará ao Conselho de Segurança das Nações Unidas seu mais recente relatório técnico sobre o programa nuclear do Irã, como exige a última resolução do Conselho de Governadores de 4 de fevereiro. El Baradei garantiu que o ponto crucial são as atividades de pesquisa e desenvolvimento com centrífugas de gás (para o enriquecimento de urânio). "Há muitas opções e só uma solução. Na minha opinião, a única solução possível é um acordo exaustivo que cubra assuntos nucleares, de segurança, econômicos e políticos", disse El Baradei. O Conselho deliberará sobre o mais recente relatório de El Baradei sobre o Irã, emitido na segunda-feira passada aos 35 países-membros da executiva da AIEA. "Expressei minha preocupação sobre o fato de que, após três anos, deveríamos ter sido capazes de esclarecer estas incertezas. Infelizmente a imagem continua sendo difusa e não muito clara sobre o alcance e a natureza do programa nuclear (iraniano)", disse o diretor-geral. No entanto, ele reconheceu que seus analistas não viram "indicação de desvio de materiais nucleares para armas atômicas ou outros artefatos explosivos. No entanto, continua havendo um certo número de dúvidas que devem ser esclarecidas".

Agencia Estado,

06 Março 2006 | 10h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.