El-Baradei visitará a Líbia na próxima semana

O chefe da Agência Internacional deEnergia Atômica (AIEA), Mohammed el-Baradei, anunciou hoje que viajará na próxima semana à Líbia paraavaliar o programa de armas nucleares desse país. A Líbia aceitou submeter-se às inspeções sem aviso prévio daAIEA, subordinada à Organização das Nações Unidas (ONU), paraconvencer o mundo de que não esconde nenhuma arma nuclearproibida, disse hoje o chanceler líbio, Mohamed AbderrhmaneChalgam. O país liderado pelo coronel Muamar Kadafi, que há anos estána lista dos Estados Unidos como uma das nações que apóiam o terrorismo,anunciou na sexta-feira que estava abandonando seus planos deconstruir uma bomba atômica e outras armas proibidas. El-Baradei confirmou hoje que as autoridades líbias lheinformaram que estão dispostas a firmar um protocolo adicionaldo Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP), permitindo arealização de inspeções sem aviso prévio a suas instalações. A decisão foi tomada depois uma reunião realizada no sábado emViena entre uma delegação líbia e El-Baradei. A Líbia admitiuque possui projetos de combustível nuclear, inclusive a posse decentrífugas e partes de centrífugas usadas no enriquecimento deurânio - um esforço nuclear mais avançado do que o esperadopelos EUA e a Grã-Bretanha, que negociaram o acordo comTrípoli. Tanto a Líbia quanto o Irã importaram centrífugas paraenriquecimento de urânio. Diplomatas identificaram o Paquistãocomo um dos fornecedores do equipamento ao Irã, apesar de ogoverno paquistanês ter desmentido qualquer envolvimento. A Líbia é um dos 14 países que não assinaram a Convenção deArmas Químicas de 1993, proibindo a produção, a estocagem e ouso de armas químicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.