El Salvador: geólogos alertam para avalanches

Dois geólogos dos Estados Unidos que analisam as características do território de El Salvador, depois do terremoto da semana passada, identificaram novas ameaças de desmoronamentos na zona de Santa Tecla e ao sul da Cordilheira de Bálsamo, onde se registraram os maiores problemas.Um informe dos geólogos Edwin Harp e James Vallance, do departamento de Inspeção Geológica dos Estados Unidos, explica que, em Santa Tecla, eventuais desmoronamentos adicionais podem ser ocasionados pelo período de chuvas que começa em maio ou por novos tremores. No último dia 13, quando houve o terremoto, ocorreu um grande deslizamento de terra no local. ?Falhas dentro do declive principal do desmoronamento do bairro Las Colinas, em Santa Tecla, podem sofrer novos movimentos?, resumia o documento lido para a imprensa pelo geólogo Carlos Pulinger, que assessora o governo. Em Las Colinas, a 20 quilômetros a oeste da capital salvadorenha, uma avalanche de aproximadamente um milhão de metros cúbicos de terra e pedras caiu de uma colina da Cordilheira de Bálsamo e soterrou centenas de casas.O número exato de mortos, em virtude da avalanche, ainda não foi calculado porque as buscas entre os escombros continuam. De acordo com a mais recente contagem do Comitê de Emergência Nacional (Coen), o terremoto de 7,6 graus de magnitude na escala Richter causou 726 mortes, além de um saldo de mais de 4.440 feridos e um milhão de desabrigados. O presidente salvadorenho, Francisco Flores, disse hoje que os estudos não permitem ao governo determinar ainda que a área não pode ser habitada. Os geólogos recomendaram elaborar um mapeamento exato das ?fraturas? na Cordilheira de Bálsamo. O ministro de Obras Públicas, Miguel Angel Quiroz, afirmou que o estudo será realizado o mais breve possível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.