Elas são detetives atrás de maridos mal comportados

Maridos mal comportados, cuidem-se. Uma agência de investigações criou uma equipe de detetives para ajudar mulheres chinesas a pegar seus maridos em flagrante ou juntar provas de violência doméstica ? com um detalhes, ?os? detetives são ?as?, todas mulheres e conhecem o problema na pele.A equipe de 16 mulheres ? segundo anunciou hoje o fundador da agência ? ajudará clientes a defender seus direitos em casos de divórcio, especialmente sobre a propriedade da família, disse o presidente da Chengdu Debang Business Consulting Services Corp. de Chengdu, sudoeste da China. A maioria das mulheres da equipe já sofreu com infidelidade ou problemas de família.?Estamos prontos para ajudar qualquer mulher casada?, afirmou o presidente, que se apresenta só com o sobrenome, Liu, explicando que quer ajudar a manter a equipe no anonimato. Fotos dos jornais chineses mostram as mulheres numa entrevista à imprensa, sorrindo e usando óculos escuros para esconder a identidade. Embora o trabalho seja o mesmo de qualquer detetive particular, Liu explicou que as mulheres não podem identificar-se como tais por motivos legais.A China está em meio a uma campanha para promover a conscientização dos direitos da mulher e aplicar leis contra adultério, violência doméstica e sobre a propriedade conjugal. Taxas de adultério e divórcio na China surgiram em anos recentes, em meio ao afrouxamento dos controles sociais. Pesquisas da oficial Federação Todas Mulheres da China mostram que casos extra-conjugais e violência doméstica são as maiores preocupações das chinesas.Uma nova lei sobre o casamento permite, a mulheres que sofreram abusos, procurar proteção mas sua aplicação é irregular. Liu afirmou que sua agência criou a equipe feminina de investigação porque recebe mais de 100 telefonemas por dia de mulheres com problemas conjugais. Ele não disse como ela funcionará, mas afirmou que as detetives serão ?mais flexíveis em procurar por evidências?. Mulheres divorciadas, por exemplo, geralmente recebem pouco do dinheiro da família.Uma das detetives, Chang Jing, que se identificou apesar dos cuidados com sigilo, disse que resolveu juntar-se à equipe inspirada em seu advogado, que ajudou-a a recuperar bens escondidos por seu marido, durante o divórcio. Segundo ela, a separação aconteceu quando o marido arrumou uma segundo esposa, o que é comum na China, embora ilegal.?Durante nosso divórcio, ele tentou um milhão de modos de esconder os bens?, contou. ?Juntei-me à equipe de detetives para ajudar minhas irmãs que se encontram na mesma situação.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.