ElBaradei é colocado em prisão domiciliar no Egito

Polícia cercou casa do opositor, que chegou ao país na quinta-feira para se unir aos protestos

Agência Estado

28 de janeiro de 2011 | 13h29

 

CAIRO - Integrantes das forças de segurança do Egito informaram que a polícia colocou o ganhador do prêmio Nobel da Paz, Mohamed ElBaradei, em prisão domiciliar nesta sexta-feira, 28, após o opositor se unir aos protestos pela renúncia do presidente Honsi Mubarak.

 

Veja também:

especialInfográfico:  

A revolução que abalou o mundo árabe

mais imagens Fotos: Os protestos no Egito e na Tunísia

blog Tempo Real:  Chacra acompanha a situação no Egito

blog  Análise: Gabeira fala do papel da TV nos tempos da web

Veículos policiais pararam do lado de fora de sua casa, num subúrbio do Cairo, e oficiais disseram que ele não poderia deixar o local. Antes, ElBaradei havia sido mantido dentro de uma mesquita pelas forças policiais.

 

ElBaradei participou de um protesto com dezenas de milhares de pessoas na capital. O ex-diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) voltou ao país na noite da quinta-feira, após ter passado um mês fora do Egito. Ele declarou que está pronto para liderar os protestos pela mudança de regime no país, caso o seja solicitado.

 

Os protestos contra Mubarak, que está há quase 30 anos no poder, irromperam na terça-feira e são os maiores da história do país. Seis pessoas morreram nos enfrentamentos entre os manifestantes e as forças de segurança, que disseram ter detido mais de mil pessoas. O país realiza eleições presidenciais neste ano, mas Mubarak não anunciou se concorrerá ao cargo por mais seis anos.

 

Os distúrbios, batizados de "Dia da Fúria" por alguns ativistas na internet, foram inspirados na "Revolução do Jasmim", que derrubou o presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, há duas semanas. No Iêmen também foram registradas manifestações nesta quinta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.