ElBaradei segue "muito preocupado" com programa nuclear do Irã

O diretor-geral da Agência Internacional deEnergia Atômica (AIEA), Mohamed ElBaradei, expressou nesta segunda-feira sua "sériapreocupação" pela falta de cooperação do Irã a respeito dasexigências da comunidade internacional em relação ao seucontrovertido programa nuclear. Por sua vez, ElBaradei qualificou como "encorajador" o diálogomantido no fim de semana passado entre o responsável de PolíticaExterna da União Européia (UE), Javier Solana, e o negociadornuclear do Irã, Ali Larijani, embora tenha reconhecido que "estajanela de oportunidade não é muito ampla". "A comunidade internacional está preocupada com o descumprimentodo Irã às exigências da Junta (de Governadores da AIEA) e doConselho de Segurança. Quero ver progressos", manifestou. A comunidade internacional pediu ao Irã que Teerã suspenda seuprograma de enriquecimento de urânio, um material especialmentesensível devido a seu possível duplo uso, civil e militar. No entanto, Teerã ignorou estas solicitações, o que fez com queos Estados Unidos e seus aliados europeus desejem impulsionar noConselho de Segurança um regime de sanções comerciais e diplomáticascontra o país. ElBaradei acrescentou que o Irã deveria esclarecer algunsassuntos pendentes relacionados ao seu programa de enriquecimentoque seguem sem solução há três anos. "Necessitamos fechar nossa verificação o mais rápido possível.Após três anos já é tempo que isso aconteça", disse El Baradei poucoantes de abrir formalmente a reunião da Junta, que durará toda aSemana. "Vou informar que o Irã não cumpre plenamente as exigências daJunta e do Conselho de Segurança da ONU de suspender suas atividadesrelacionadas ao enriquecimento de urânio", informou. Quanto à nova reunião entre Solana e Larijani prevista para estasemana, ElBaradei expressou sua esperança de que o resultado seja"um acordo para voltar à mesa de negociações". "Espero que todas as partes façam todo o esforço possível paravoltar às negociações. Sigo pensando que as negociações são a melhoropção para encontrar uma solução duradoura", disse. Por outra parte, um diplomata europeu confirmou nesta segunda-feira à Efe emViena que Larijani teria oferecido em suas conversas com Solana ainterrupção dos trabalhos de enriquecimento durante dois meses parafacilitar o início de negociações com seis grandes potências sobreum pacote de incentivos recebido em junho passado. O Irã tinha se referido a essa proposta em 22 de agosto, emborasem esclarecer se a rejeita ou a aceita. No entanto, a fonte consultada disse que uma suspensão temporária"não é suficiente", já que o pacote de incentivos contém comocondição uma interrupção "alongo prazo, durante anos". A Junta irá deliberar esta semana sobre diversos assuntos e não seespera que o dossiê iraniano seja abordado nos próximos dois dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.