"Eleição é assunto da Ucrânia", diz Yushchenko Kiev

O candidato da oposição à presidência da Ucrânia, Viktor Yushchenko, advertiu hoje que líderes estrangeiros não devem apoiar nenhum dos candidatos na próxima votação. Segundo Yushchenko, a única interferência de outros países deve ser o envio de observadores que ajudem a garantir a idoneidade do pleito, marcado para o dia 26. "Eu não recomendaria a ninguém da comunidade internacional manifestar apoio a nenhum dos candidatos", disse. Apesar de não citar nomes, a declaração foi um recado ao presidente russo, Vladimir Putin, que é abertamente favorável à vitória do candidato do governo, Viktor Yahukovych. Durante o período de campanha eleitoral, Putin fez duas visitas à Ucrânia para mostrar sua preferência. "A eleição do presidente da Ucrânia é um assunto exclusivamente interno dos 48 milhões de ucranianos", disse o opositor em entrevista à rede de TV BBC. "Estou pedindo que todos os nossos parceiros internacionais e vizinhos reconheçam que apenas o povo da Ucrânia pode resolver o assunto e sua opinião deve ser respeitada." A Suprema Corte anulou o segundo turno da eleição, realizado em 21 de novembro e vencido por Yahukovych, por causa de fraudes. Apesar da anulação, milhares de manifestantes favoráveis a Yushchenko continuam nas ruas de Kiev pedindo mudanças na lei eleitoral e não a simples repetição do segundo turno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.