Eleição em El Salvador será decidida na contagem final

Com quase todos os votos contados, a disputa pela presidência em El Salvador continua apertada. Após 99,51% dos votos apurados, Salvador Sánchez Cerén, da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN), lidera as eleições com uma taxa de votação de 50,11%, enquanto o ex-prefeito de San Salvador Norman Quijano, da Aliança Republicana Nacionalista (Arena), obtém 49,89%. Em termos nominais, a diferença dos dois candidatos é de 6.369 votos.

AE, Agência Estado

10 de março de 2014 | 00h53

O presidente do Supremo Tribunal Eleitoral, Eugenio Chicas, ressaltou que a disputa está "extremamente apertada" e afirmou que nenhum candidato pode se declarar vencedor. Ele disse que apenas a contagem final poderá decidir o ganhador.

O resultado surpreende, uma vez que as pesquisas de opinião indicavam que Cerén lideraria a eleição com 10 a 18 pontos porcentuais de diferença sobre o ex-prefeito de San Salvador.

Cerén, de 69 anos, é visto como o favorito a se tornar o primeiro guerrilheiro a liderar o país da América Central. O atual presidente, Mauricio Funes, foi um jornalista simpatizante aos rebeldes do FMLN durante a guerra civil, mas nunca foi um guerrilheiro.

Quijano, de 67 anos, acusa a ex-guerrilha de tentar liderar o país como o falecido presidente socialista da Venezuela Hugo Chávez e alerta contra o retorno do comunismo. Quijano prometeu, se eleito, combater a crescente violência das gangues.

Já Cerén, que ajudou a negociar os acordos de paz de 1992 para encerrar a guerra civil de 12 anos, prometeu governar como um moderado e acelerar os programas sociais do governo. Ele tem como objetivo se espelhar no presidente uruguaio, José Mujica, que também foi um guerrilheiro. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
El salvadoreleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.