Eleição em Kosovo termina com 45% de participação

A população de Kosovo foi às urnas neste domingo pela primeira vez desde que a maioria étnica albanesa declarou independência da Sérvia no ano passado. O primeiro-ministro do Kosovo, Hashim Traci, declarou que as eleições locais "são o acontecimento mais importante desde a proclamação da independência". Traci votou em Pristina acompanhado de sua família.

AE, Agencia Estado

15 Novembro 2009 | 19h52

De acordo com a Comissão Eleitoral, a votação foi encerrada com a participação de cerca de 45% de 1,5 milhão de votantes que escolheram prefeitos e representantes locais. A maior parte das atenções ficaram voltadas para a forte comunidade sérvia em Kosovo, que havia sido incitada por Belgrado e pela Igreja Ortodoxa sérvia a boicotar as eleições. Entretanto, a expectativa é que os sérvios participaram das eleições, apesar dos apelos das autoridades sérvias.

De acordo com as autoridades eleitorais de Gracanica, forte comunidade sérvia localizada ao sul de Pristina, uma longa fila se formou à espera da vez de votar. As autoridades informaram também que 23% da população de 18 mil votantes de Guacanica compareceu às urnas, enquanto no centro da cidade de Strpce, também com maioria sérvia, 31% dos votantes participaram da votação. "Vivemos aqui e não estamos vendo outra solução", afirmou o agricultor de 47 anos, Slobodan Joksimovic, explicando porque decidiu não atender ao apelo de Belgrado para boicotar as eleições.

Entretanto, dois terços dos sérvios de Kosovo que vivem ao norte, perto da fronteira com a Sérvia, boicotaram em massa as eleições. A Comissão Eleitoral informou que a votação em três municípios ao norte com população majoritariamente sérvia não chegou a atingir 1%.

Kosovo se separou da Sérvia em fevereiro de 2008 apesar da forte oposição de Belgrado. A comunidade sérvia como um todo rejeitou a independência e continuou mantendo ligações fortes com Belgrado, recebendo apoio político e financeiro do governo sérvio. Mais de 60 países, incluindo os Estados Unidos e membros da União Europeia reconheceram a independência de Kosovo.

A previsão é que os primeiros resultados oficiais das eleições ocorridas neste domingo saiam durante ainda nesta madrugada. As eleições foram monitoradas por três mil observadores locais e internacionais, incluindo uma missão da União Europeia e uma delegação do Parlamento Europeu.

Luto

As eleições ainda estavam em andamento em Gracanica quando os sinos anunciaram a morte do patriarca Pavle, dirigente da Igreja Ortodoxa sérvia, que morreu em Belgrado na manhã de hoje. As pessoas com velas nas mãos prestaram tributo ao último patriarca que serviu em Kosovo antes de se tornar dirigente da igreja e garantir forte apoio ao sérvios. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Kosovo eleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.