Eleição em Taiwan termina sem incidentes

Os eleitores tiveram que depositar quatro cédulas em quatro urnas diferentes

EFE,

12 de janeiro de 2008 | 06h46

As seções eleitorais de Taiwan fecharam suas portas neste sábado, às 16 horas (6 horas de Brasília), ao fim de uma votação marcada pela normalidade, pelo bom tempo e por uma participação mais alta do que se esperava. Alguns eleitores acharam complicado o processo. Eles tiveram que depositar quatro cédulas em quatro urnas diferentes, já que votavam no novo Parlamento e também em dois referendos. O Kuomintang (KMT, de oposição) defendeu o boicote aos dois referendos. Um deles era sobre a devolução ao Estado dos bens do partido, e o outro, que os seus próprios dirigentes haviam proposto, pedia a autorização para julgar políticos corruptos. Vários eleitores atenderam ao apelo do KMT. Se a participação nos referendos for menor que 50%, o resultado será invalidado. O partido justificou seu boicote como forma de protesto contra à imposição do voto conjunto com as eleições parlamentares. As duas consultas populares preparam o polêmico plebiscito sobre a entrada do país nas Nações Unidas, combatido pela China e que também recebeu fortes críticas dos Estados Unidos e da União Européia, que temem seu potencial desestabilizador. Os taiuaneses elegeram um novo Parlamento, com 113 cadeiras, bem menos que as 225 anteriores. O mandato dos legisladores foi ampliado de três para quatro anos. As pesquisas apontam o KMT como favorito. Se conquistar uma maioria de dois terços do Parlamento, o partido poderá reformar a Constituição e anular as políticas independentistas do atual Governo. Uma vitória eleitoral do KMT seria um sinal de que a oposição também obterá a Presidência na eleição de 22 de março. Isso levaria à melhora dos laços diplomáticos e comerciais com a China. O Partido Democrata Progressista (PDP, governante) acusa o KMT de querer "vender Taiwan" à China. Nas eleições parlamentares anteriores, a aliança liderada pelo KMT obteve 49,81% dos votos e 114 das 225 cadeiras. O PDP e sua aliada, a União Solidariedade de Taiwan, receberam 46,26% dos votos e elegeram 101 parlamentares.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõestaiwan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.