EFE/Mariscal
EFE/Mariscal

Eleição evitaria guerra na Venezuela, diz Mujica

O ex-presidente do Uruguai novamente disse que aceitaria mediar o conflito na Venezuela se Montevidéu pedisse

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2019 | 21h21

MONTEVIDÉU - O ex-presidente do Uruguai José Mujica manifestou apoio à proposta de negociação feita pelo governo uruguaio para tentar contornar a crise na Venezuela. Em entrevista à BBC, ele afirmou que a convocação de eleições seria a melhor saída. “Se não tiver mais jeito, os EUA vão intervir. O tema central, para mim, é evitar a guerra”, disse.

Mujica negou que a posição do Uruguai seja a de dar tempo ao governo de Nicolás Maduro, uma referência ao Grupo Internacional de Contato (GIC), que aceitou discutir em Montevidéu uma saída para a crise e foi acusado de ajudar o regime chavista. “A posição do Uruguai é a de tentar encontrar uma saída que dê uma possibilidade de retomar o governo venezuelano sem a necessidade de uma guerra.”

O ex-presidente do Uruguai novamente disse que aceitaria mediar o conflito na Venezuela se Montevidéu pedisse. “Não dizer (se o regime de Maduro) é uma ditadura. Se eu quiser negociar, não posso insultar”, afirmou Mujica, que sempre manteve uma relação mais próxima com Hugo Chávez do que com Maduro, a quem responsabilizou pelo período difícil que enfrenta a esquerda no continente. 

“Há uma velha confusão entre socializar e estatizar, que culmina em burocratismo, uma velha doença humana da qual até Roma padeceu. E parte da esquerda não aprende as lições da história”, disse Mujica. “O que não significa abandonar nossas bandeiras. A luta pela igualdade se justifica mais do que nunca. Não pela igualdade absoluta, mas para reduzir a distância (entre pobres e ricos).” / EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.