Eleição legislativa é concluída com êxito na Colômbia

As eleições legislativas realizadas hoje na Colômbia para o período 2006-2010 foram concluídas com relativa tranqüilidade, salvo alguns ataques isolados das guerrilhas das Farc, que queimaram veículos e material eleitoral em algumas regiões. A votação foi encerrada às 16h hora local (18h em Brasília) em mais de 75 mil mesas de votação instaladas no país depois de oito horas de votações nas quais foi observada uma baixa participação e dificuldades dos eleitores para utilizar as cédulas. As eleições de hoje, além de definirem 268 congressistas - 102 para o Senado e 166 para a Câmara de Representantes -, são decisivas por também definir que grupo obtém maioria parlamentar, fundamental para o próximo Governo, que pode ser liderado por Álvaro Uribe se o governante for reeleito em maio. Para o primeiro turno das eleições presidenciais, em 28 de maio, Uribe aparece nas pesquisas como favorito. Ainda não há consenso entre os analistas de que haverá ou não necessidade de um segundo turno em 18 de junho. O que será definido Nas eleições de hoje, cujos resultados levarão tempo para serem divulgados, está em jogo o número de cadeiras ocupadas pelos aliados de Uribe e pela oposição. Também será escolhido hoje o candidato presidencial do Partido Liberal (PL) entre Horacio Serpa, Rafael Pardo e Rodrigo Rivera. Além disso, os eleitores decidem o candidato presidencial da coalizão de esquerda Pólo Democrático Alternativo (PDA) entre o ex-guerrilheiro Antonio Navarro Wolff e o jurista e catedrático Carlos Gaviria Díaz. O PL e o PDA são as forças de oposição mais importantes do país. Embora Uribe tenha pertencido ao PL, venceu as eleições de 2002 pelo movimento independente "Primeiro Colômbia" e sua administração teve a oposição dos liberais. No entanto, o atual chefe do Estado tem o apoio de grupos que unidos constituem maioria, entre eles o Mudança Radical, o Partido do U, o Colômbia Democrática e o Partido Conservador. Alguns problemas Na jornada eleitoral foram registrados problemas em Chocó, no oeste do país, onde um carro-bomba explodiu sem deixar vítimas; em Bogotá, onde foram queimados dois ônibus; além de outros incidentes em Antioquia, Caquetá, Cauca, Nariño Santander, Norte de Santander e Arauca. No final do período de votação, um blecaute deixou sem eletricidade quase toda a costa caribenha, formada por sete departamentos (estados). O serviço já estar sendo gradualmente restabelecido, e o Governo já ordenou investigações para indicar se o incidente teve origem criminosa ou se foi falha técnica.

Agencia Estado,

12 Março 2006 | 20h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.