Eleição na Sérvia pode definir futuro de Kosovo

As últimas pesquisas de intenção de voto indicavam uma disputa acirrada entre ambos

AE-AP

03 de fevereiro de 2008 | 17h50

Os sérvios foram às urnas neste domingo, no segundo turno de uma eleição presidencial apertada cujo resultado deverá selar o destino da Província separatista de Kosovo. Disputam a eleição o atual presidente, Boris ah, Tadic, pró-Ocidente, e o radical nacionalista Tomislav Nikolic. As últimas pesquisas de intenção de voto indicavam uma disputa acirrada entre ambos. Sete horas depois de aberta a votação, cerca de 34% dos cerca de 6,7 milhões de eleitores já haviam comparecido. O resultado deverá ser divulgado somente na segunda-feira. O vencedor deverá determinar se a Sérvia continuará na via das reformas pró-Ocidente e de relações reforçadas com a União Européia, ou se voltará ao isolamento dos anos 1990, quando o país era governado por Slobodan Milosevic (de quem Nikolic foi aliado) e envolvo em uma sangrenta guerra civil. O resultado da eleição também vai determinar como a Sérvia vai reagir à declaração de independência de Kosovo, esperada para as próximas semanas. Kosovo, que tem maioria étnica albanesa, tentou separar-se pela força na segunda metade dos anos 1990, mas a Sérvia interveio militarmente. Em 1999, uma campanha de ataques aéreos da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) conteve as ações militares sérvias; embora legalmente parte da Sérvia, Kosovo está até hoje sob administração da ONU e da Otan. Tanto Tadic como Nikolic são contra a independência de Kosovo, mas o atual presidente descartou o uso da força militar para manter a Província sob controle sérvio. Nikolic, por sua vez, defende que a Sérvia abandone o esforço para passar a integrar a União Européia, caso a UE continue a apoiar a independência de Kosovo, e defende relações mais estreitas com a Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.