Eleição no Zimbábue é 'digna de crédito,' dizem observadores

Um relatório de observadores de paísesdo Sul da África avaliou as eleições no Zimbábue como tendosido "pacíficas e dignas de crédito," apesar de falhasimportantes, disseram no domingo dois membros da missão quediscordaram da avaliação feita. Os membros da oposicionista Aliança Democrática (DA) daÁfrica do Sul disseram que se recusaram a assinar o relatóriopreliminar da missão de observadores da Comunidade deDesenvolvimento do Sul da África (SADC). De acordo com a DA, o relatório da SADC concluiu que,"apesar de várias preocupações, as eleições foram uma expressãopacífica e confiável da vontade da população do Zimbábue." A deputada da DA e membro da missão Diane Kohler Barnarddeclarou em comunicado à imprensa: "É impossível que esseprocesso eleitoral profundamente falho seja visto comoexpressão digna de crédito da vontade da população doZimbábue." A SADC --que, segundo críticos, tem sido demasiadocomplacente com o presidente Robert Mugabe-- procurou semsucesso mediar uma solução para pôr fim à crise no Zimbábue,que deixou a economia do país em ruínas e boa parte dapopulação na miséria. O comunicado da DA disse que a missão da SADC observou compreocupação ameaças feitas pelas forças de segurançazimbabuanas de que se recusariam a aceitar uma vitória daoposição, além do uso de verbas do Estado para fins políticos ea presença de policiais em locais de votos. A DA disse, ainda,que a organização das eleições foi "caótica." Mais de 24 horas após o fechamento das urnas nas eleiçõespresidenciais, parlamentares e locais vistas como o pleito maiscrucial desde a independência do país, apenas um punhado deresultados tinham sido apurados no domingo. De acordo com a DA, esse fato reforça os temores de que ogoverno de Mugabe estaria fraudando os resultados da eleição. A oposição zimbabuana anunciou na manhã de domingo quevenceu a eleição, mas o governo avisou que declaraçõesprematuras de vitória seriam vistas como tentativa de golpe. País antes próspero, o Zimbábue hoje enfrenta a maiorinflação do mundo --mais de 100.000 por cento--, escassezcrônica de alimentos e combustíveis e uma epidemia de Aids quevem contribuindo para a queda acentuada na expectativa média devida. Mugabe acusa o Ocidente de sabotar a economia do Zimbábue.Ele rejeitou as acusações de fraude eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.