EFE/EPA/Gary HE
EFE/EPA/Gary HE

Partido democrata não soluciona falhas e piora o caos em Iowa

Delegados do partido em vários comitês estaduais reclamaram de erros no aplicativo criado para a apuração, linhas telefônicas ocupadas, e respostas demoradas

Isaac Stanley-Becker, The Washington Post, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2020 | 07h45

Ela não conseguiu fazer o aplicativo funcionar. E também não conseguiu chegar ao comitê estadual. Então Linda Nelson, a presidente do comitê democrata do Condado de Pottawattamie, escolheu sua próxima melhor opção: o Facebook. “AJUDA!”, ela escreveu, descrevendo como continuava recebendo uma mensagem de erro no aplicativo criado pelo Partido Democrata para relatar os resultados ao comitê partidário de Iowa, o grupo encarregado da grande responsabilidade de iniciar o processo de escolha de um candidato à presidência

Após anos de preparação projetada para evitar o caos e a confusão que atrapalharam os caucus em 2016, e após um planejamento cuidadoso destinado a impedir a disseminação de teorias da conspiração sobre interferência nas eleições, os democratas começaram sua disputa nesta segunda-feira, 3, sob uma nuvem de incerteza e disfunção. 

Para Entender

Como funciona a escolha do presidente dos EUA

No dia 3 de novembro de 2020, 224 milhões de eleitores americanos irão às urnas e darão seu veredicto sobre a presidência de Donald Trump; veja o que mais está em jogo

Pouco antes da meia-noite, a apuração dos resultados do caucus estava em um estado de confusão - com delegacias incapazes de comunicar resultados, funcionários e voluntários do partido se reunindo com assessores dos principais candidatos e, acima de tudo, uma mancha no processo realizado pelo Estado, considerado um modelo de engajamento cívico.

Iowa previu que os resultados chegariam em algum momento do começo da madrugada de terça-feira, e não houve sugestão de má conduta ou resultado corrompido, mas o atraso significou que os holofotes globais focados em Iowa iluminaram mais um solavanco no funcionamento da democracia americana.

O caos proporcionou uma oportunidade para que algumas pessoas semeassem dúvidas sobre a credibilidade do processo de indicação, ilustrando como a opacidade do caucus em Iowa convida a esforços para minar sua legitimidade.

Brad Parscale, gerente da campanha de reeleição do presidente Donald Trump, foi ao Twitter sugerir, sem evidências, que o processo foi "fraudado". Ele seguiu com uma declaração formal, revelando a confusão. "Os democratas estão mergulhando em uma confusão no caucus que eles próprios criaram", disse Parscale.

Dúvidas adicionais foram levantadas pelos assessores dos principais candidatos democratas. Um advogado da campanha de Joe Biden endereçou uma carta a oficiais do partido citando "falhas consideráveis no sistema de relatórios do caucus de Iowa desta noite".

“O aplicativo que pretendia transmitir os resultados do caucus ao partido falhou; o sistema de relatórios telefônicos de backup do partido também falhou", escreveu a assessora geral da campanha, Dana Remus. "Agora, entendemos que os centros de apuração estão tentando - e, em muitos casos, deixando de - informar os resultados por telefone ao Partido".

A vice-gerente de campanha de Biden, Kate Bedingfield, twittou que a "integridade do processo é crítica".

A suspeita foi aprofundada pela deputada democrata Ilhan Omar - uma defensora do senador Bernie Sanders - que sugeriu que o desenvolvedor do aplicativo usado pelos democratas estava vinculado à campanha de Pete Buttigieg. Um representante da empresa nomeado na postagem não respondeu imediatamente a uma solicitação de comentário.

Enquanto isso, sem resultados relatados, Buttigieg efetivamente se declarou o vencedor - dizendo aos apoiadores durante uma aparição noturna que, em Iowa, "uma esperança improvável se tornou uma realidade inegável". "Por todas as indicações", disse ele, "estamos indo para New Hampshire vitoriosos".

Caos em Iowa

E, apesar da falta de números do partido, a senadora Amy Klobuchar disse aos partidários horas depois do caucus: "Estamos superando o nosso limite". O comitê do partido estava trabalhando para obter e verificar os resultados depois de encontrar várias instâncias de retornos inconsistentes.

"Encontramos inconsistências na divulgação de três conjuntos de resultados", disse Mandy McClure, porta-voz do Partido Democrata. "Além de os sistemas de tecnologia serem usados para tabular os resultados, também estamos usando fotos dos resultados e uma apuração em papel para validar se todos ocorrespondem e garantir que tenhamos confiança e precisão nos números que reportamos".

Ela disse que a dificuldade era um "problema de comunicação", enfatizando que o aplicativo "não caiu e não foi hackeado nem sofreu uma invasão". "O resultado impresso em papel é sólido e levará tempo para relatar os resultados", acrescentou McClure.

Não ficou claro por que os líderes de caucus estavam tendo problemas tão graves com a tecnologia ou por que não se familiarizaram adequadamente com o software. “O que estou fazendo de errado?”, perguntou Nelson, presidente do comitê do condado de Pottawattamie, incapaz de obter respostas do endereço de e-mail fornecido pelo partido e, assim, recorrendo às mídias sociais.

Em todo o condado de Linn, um dos principais de Iowa, os apuradores estavam tirando fotos dos resultados em seus distritos e tentando enviar as imagens para o Partido Democrata de Iowa, depois de ficarem presos no aplicativo e não conseguirem respostas quando ligaram para a sede do partido em Des Moines, de acordo com Bret Niles, presidente democrata do condado.

"As pessoas estão desistindo em diferentes fases do aplicativo", disse Niles. "Eles tentaram várias soluções e não conseguem passar ou leva muito tempo. Ou eles estão ligando para relatar os resultados e é apenas um grande número de pessoas tentando falar. "

Por volta das 23:00 (01h da madrugada de terça-feira em Brasília), os líderes democratas da cidade de Johnson ainda aguardavam o Partido Democrata de Iowa para que pudessem relatar os resultados por telefone."Ele não conseguiu fazer o download do aplicativo em seu telefone", disse John Deeth, organizador do grupo, sobre um dos líderes do comitê. Elesha Gayman, presidente democrata do condado de Scott, disse que o problema, perversamente, era muita segurança. "Foi tão seguro que as pessoas ficaram trancadas no aplicativo e não puderam voltar", disse ela. 

Sean Bagniewski, presidente do comitê democrata do Condado de Polk, disse que não havia treinamento do partido sobre como usar o aplicativo. Os democratas de Iowa se esforçaram bastante para evitar essa mesma situação. Um colapso nos relatórios sobre o aplicativo móvel estava entre os cenários usados em uma dramatização realizada em Des Moines no outono passado pelo Projeto Defendendo a Democracia Digital no Centro Belfer de Ciência e Assuntos Internacionais de Harvard. 

Os comitês estaduais dos dois partidos fizeram uma parceria com os líderes do projeto para uma simulação em novembro. A eles juntaram-se especialistas em segurança, além de desenvolvedores por trás do site e aplicativo móvel usados pelas partes para divulgar os detalhes e relatar retornos.

Os democratas de Iowa reformularam suas propostas para afastar a desinformação. Agora, alguns temem que as mudanças possam gerar nova confusão na corrida presidencial de 2020.

Os detalhes de um problema chegariam por e-mail, trazendo notícias, por exemplo, de dificuldade com o aplicativo ou de tweets falsos, alegando que os caucus começaram em um horário diferente. Os democratas usaram a simulação para desenvolver possíveis planos para a noite do caucus, incluindo contingências como a entrada no Departamento de Segurança Interna e o contato com executivos do Twitter.

"Iowa tem a honra de realizar o nosso primeiro grupo no país", disse Troy Price, presidente do Partido Democrata de Iowa, em entrevista no mês passado sobre os esforços para reformular o processo para evitar o caos. "Essa é uma responsabilidade que levamos muito a sério - para garantir a proteção da integridade de nosso processo".Em comunicado divulgado na terça-feira, Price disse: "Estamos validando todos os dados que temos para garantir a lisura do processo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.