Eleição presidencial no México está indefinida

Em nota oficial divulgada às 23 horas (1 hora de segunda-feira em Brasília) o presidente do Instituto Federal Eleitoral (IFE) do México, Luis Carlos Ugalde, informou que devido à estreita diferença de votos entre os dois candidatos mais votados - Felipe Calderón Hinojosa, do Partido de Ação Nacional (PAN) e Andrés Manoel López Obrador, do Partido Revolucionário Democrático (PRD) - não é possível declarar, cientificamente, quem foi o vencedor da eleição presidencial mexicana realizada no domingo. De acordo com o IFE, o resultado oficial será conhecido apenas na quarta-feira.O presidente do IFE assinalou que a diferença entre o primeiro e o segundo candidatos mais votados é muito estreita para que seja indicado um vencedor. Explicou ainda que o instituto vai esperar a conclusão da contagem dos votos distritais, processo que começará na quarta-feira.Posteriormente, em uma mensagem à população, o presidente Vicente Fox felicitou os mexicanos por sua participação em uma "autêntica festa cívica".A informação do órgão eleitoral oficial mexicano caiu como um balde de água fria nos candidatos apontados como favoritos - segundo as pesquisas iniciais - Calderón Hinojosa (PAN) e López Obrador (PDR) - que se declararam vencedores. Calderón mantém pequena vantagemApós o cômputo de 61,57% dos colégios eleitorais, Felipe Calderón tinha uma pequena vantagem sobre o esquerdista Andrés López Obrador, segundo a apuração preliminar oficial.À 1h50 (3h50 de Brasília), Calderón, do PAN, tinha 10.635.909 dos votos (37,29%), enquanto López Obrador, do Partido da Revolução Democrática (PRD), obtinha 10.343.707 votos (36,27%), segundo o cômputo preliminar do Instituto Federal Eleitoral (IFE). Roberto Madrazo, do Partido Revolucionário Institucional (PRI) tinha a essa hora 5.616.635 votos (19,69%).Nas eleições realizadas no domingo também disputaram Patricia Mercado, da Alternativa Social-Democrata e Camponesa, com 882.672 votos (3,09%), e Roberto Campa, da Nova Aliança, com 279.383 votos (0,97%).Apesar da divulgação desses resultados, o IFE se declarou impossibilitado de declarar o candidato vencedor porque, segundo o órgão, a apuração rápida de votos realizada em mais de 7.000 mesas representativas de todo o país não havia mostrado "uma clara tendência".Este texto foi atualizado às 6h03

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.