Eleição presidencial no Paquistão será no início de outubro

Eleição no país é realizada por um colégio eleitoral; aliados de Musharraf têm maioria no atual Parlamento

EFE

15 de setembro de 2007 | 04h17

A eleição presidencial do Paquistão será realizada durante a primeira semana de outubro, e em seguida o atual presidente, o general Pervez Musharraf, renunciará a seu cargo de chefe do Exército, afirmou neste sábado o secretário-geral de seu partido, Mushahid Hussain Syed. Syed falou em entrevista ao canal de TV privado "Geo TV". Mas não revelou a data exata em que Musharraf deixará de ser chefe das Forças Armadas. O general paquistanês queria manter o cargo até o fim do ano. O secretário-geral da Liga Muçulmana do Paquistão-Q, liderada por Musharraf, opinou também que o retorno da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, previsto para 18 de outubro, demonstra que ela "não quer sabotar as eleições presidenciais". Syed explicou que o presidente mantém um diálogo com Bhutto para chegar a um acordo sobre o futuro político do Paquistão. Na sua avaliação, há altas probabilidades de que as negociações tenham sucesso. Bhutto anunciou nesta sexta-feira seu retorno ao Paquistão, após nove anos de auto-exílio. Na segunda-feira o também exilado ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif foi deportado, ao aterrissar em Islamabad. O presidente do Paquistão é eleito por um colégio eleitoral formado pelas duas câmaras nacionais e pelas assembléias regionais. O partido de Musharraf e seus aliados tem maioria no atual Parlamento. O general paquistanês insistiu este ano que queria ser reeleito antes da realização de eleições legislativas, previstas também para o fim deste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoPaquistãoBhuttoMusharraf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.