Eleição presidencial no Uruguai deve ter 2.º turno, mostra pesquisa

Eleição presidencial no Uruguai deve ter 2.º turno, mostra pesquisa

Candidato da coalizão governista de esquerda tem 42% das intenções de voto; opositor aparece em segundo, com 32%

O Estado de S. Paulo

07 de outubro de 2014 | 11h52

MONTEVIDÉU - As intenções de voto para as eleições presidenciais de 26 de outubro no Uruguai mantiveram-se estáveis durante o último mês, confirmando a possibilidade de segundo turno entre a coalizão governista, a Frente Ampla, e a legenda de oposição, o Partido Nacional, mostrou uma pesquisa divulgada na segunda-feira 6.

O candidato da coalizão governante de esquerda, Tabaré Vázquez, tem o respaldo de 42% dos eleitores, igual a setembro, de acordo com pesquisa da consultoria Factum. Ele é seguido pelo candidato de centro Luis Lacalle Pou, com 32%, e pelo também opositor Pedro Bordaberry, do Partido Colorado, com 15%.

O total de indecisos diminuiu para 3%. Em setembro, era 4%.

"O que está claro é que o presidente será eleito em novembro, teremos um segundo turno", disse o diretor da Factum, Eduardo Bottinelli, acrescentando que será difícil para o partido governista conseguir obter maioria parlamentar.

A pesquisa foi realizada entre 26 de setembro e 1º de outubro, com 1.004 pessoas e margem de erro de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Uruguaieleição no Uruguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.