Eleição venezuelana no domingo testará força de Chávez

Oponentes e partidários do presidente Hugo Chávez realizaram ontem suas últimas manifestações eleitorais. Os venezuelanos vão às urnas no domingo para escolher os 165 membros da Assembleia Nacional, que é quase inteiramente pró-Chávez desde que os partidos de oposição boicotaram o último pleito, em 2005, alegando preocupações sobre possíveis irregularidades. O pleito daqui a dois dias é visto como um importante teste para o governo.

AE-AP, Agência Estado

24 de setembro de 2010 | 13h17

Chávez liderou ontem dois comícios eleitorais, pedindo uma grande vitória e dizendo que o voto é um passo importante em seu caminho para a reeleição em 2012. Uma multidão de partidários gritou quando Chávez subiu ao palco na cidade de Barquisimeto e declarou "vamos derrotá-los". O líder socialista chamou seus oponentes de "candidatos do império ianque" e - como geralmente tem feito durante seu mandato de 11 anos - os acusou de agir em conjunto com seus críticos em Washington.

A oposição, que superou as divisões e formou um bloco unido de candidatos, vai para as eleições com o objetivo de conquistar a maioria, ou pelo menos evitar que Chávez conquiste dois terços do Legislativo unicameral. Cerca de 17.500 venezuelanos se registraram para votar e mais de 300 candidatos disputam os cargos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.