Eleições alemães mostram rejeição a impostos, diz grupo

O resultado das eleições na Alemanha, que deu amplo suporte a um terceiro mandato da chanceler Angela Merkel, é um sinal claro da rejeição pública a aumentos de impostos, afirmou em um comunicado a associação de fábricas e maquinários do país, a VDMA.

AE, Agência Estado

23 de setembro de 2013 | 09h34

Diferentemente da maioria dos partidos da oposição, que pretendiam elevar os impostos sobre riquezas, o Partido União Democrata Cristã (CDU) de Merkel combateu tais elevações durante a campanha. "Tendo em vista esse resultado, seria apropriado o CDU e o Partido Social Democrata (SPD) chegarem a um entendimento para uma grande coalizão", afirmou a VDMA.

A coalizão precisa dar à reforma do setor de energia a mais alta prioridade para eliminar obstáculos de investimentos, ressaltou a associação. "Uma grande coalizão é como dar um cheque do público para soluções rápidas e sensíveis - um cheque que precisa ser descontado", disse. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Alemanhaeleiçõesimpostos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.