EFE/MIGUEL GUTIÉRREZ
EFE/MIGUEL GUTIÉRREZ

Eleições de governadores na Venezuela serão realizadas em 15 de outubro

Conselho Nacional Eleitoral divulga data da votação, prevista inicialmente para dezembro de 2016, mas adiadas em duas ocasiões pelas autoridades; Assembleia Constituinte instala nesta semana comissões que elaborarão nova Constituição

O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2017 | 10h16

CARACAS - O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela informou na noite de segunda-feira que as eleições para governadores serão realizadas no dia 15 de outubro. Além disso, o órgão eleitoral definiu que a campanha dos candidatos começará em 23 de setembro e terminará na noite de 12 de outubro.

"As eleições de governadores acontecerão no domingo, 15 de outubro, tal como foi aprovado pelo Conselho Nacional Eleitoral, cuja convocação, bem como o cronograma de atividades, estará à disposição a partir desta terça-feira", disse o CNE em um comunicado publicado em seu site.

O órgão indicou que durante o período que se estipulou para a campanha dos candidatos também será realizada uma "feira eleitoral" para "praticar o voto".

Nestas eleições estão convocados a participar 18.094.065 eleitores inscritos no Registro Eleitoral, que deverão votar em 23 dos 24 Estados do país onde se pode escolher governadores, pois no Distrito da Capital há um regime especial do governo "que não contempla a eleição de governador".

O CNE também apontou que as auditorias do software das máquinas de votação continuarão durante terça-feira e quarta-feira, "com a participação dos representantes técnicos das organizações com fins políticos que participam destas eleições".

O Poder Eleitoral explicou que esta auditoria tem como objetivo constatar que a programação da máquina de votação corresponde com a função que deve cumprir no dia da eleição.

As eleições de governadores deveriam ter acontecido em dezembro de 2016, mas foram adiadas em duas ocasiões pelas autoridades. A data exata das eleições de governadores foi anunciada um mês depois que a Assembleia Constituinte decidiu que as eleições deveriam acontecer em outubro.

Constituição

A presidente Constituinte, Delcy Rodríguez, informou também na noite de segunda que nesta semana serão instaladas formalmente as 22 comissões que trabalharão na elaboração da nova Constituição do país.

"Nesta semana se instalarão formal e plenamente as 22 comissões de trabalho que começarão a desdobrar-se na construção da nossa nova Constituição, que blinda a Constituição mãe de 1999", disse Rodríguez à emissora de televisão estatal "VTV" após encontrar-se com os presidentes das comissões.

A ex-chanceler ressaltou também que estas comissões estarão focadas em garantir, através de decretos, "o equilíbrio político, econômico e social".

Além disso, indicou que foi elaborado um cronograma para dar "maior celeridade" às oito leis entregues pelo presidente Nicolás Maduro na quinta-feira, que são necessárias para que a economia "possa enfrentar às distintas ameaças e agressões, tanto internas como externas".

Esta assembleia - cuja legitimidade é rejeitada pela oposição, chavistas críticos e boa parte da comunidade internacional - aprovou até agora apenas uma lei, para castigar os "delitos de ódio", que inclui o regulamento das redes sociais.

Além disso, a Constituinte criou uma Comissão de Economia que - segundo Maduro - endurecerá as medidas para fazer cumprir os controles governamentais de preços que já existem na Venezuela. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.