Eleições em New Orleans começam com chegada de refugiados

Centenas de refugiados vítimas do furacão Katrina, atualmente vivendo no Texas e em outros Estados americanos, embarcaram em ônibus e viajaram para Louisiana nesta segunda-feira para escolher o novo prefeito de New Orleans. A eleição acontece oficialmente no dia 22 de abril, mas os eleitores espalhados pelo país poderão votar durante esta semana em centros de votação em Lake Charles e sete outras cidades da Louisiana. "Precisamos fazer parte do processo político", disse Cara Harrison, que teve de deixar sua casa no bairro de Ninth Ward por causa do furacão. Ela disse que votou para que o atual prefeito Ray Nagin exerça um segundo mandato. Em Houston, cerca de 110 refugiados embarcaram em ônibus para uma viagem de uma hora até St. Charles. Muitos queriam votar pessoalmente, ao invés de usar cédulas enviadas pelo correio, porque o sistema postal de New Orleans ainda não é confiável. "Desta maneira sei que serei contabilizada", disse Cavada Smith, de 50 anos, que passou a viver em um apartamento em Houston depois que a água invadiu sua casa, em um projeto habitacional em New Orleans. Muitos eleitores não esperavam voltar a New Orleans antes de um anos, mas resolveram fazer a viagem porque a eleição determinará grande parte do futuro da cidade. "Eu andaria até New Orleans se fosse preciso. Eu não seria uma boa cidadã se não estivesse aqui fazendo isso", afirma Elaine Stovall, de 62 anos. Cerca de 300 eleitores em cidades no Texas, Geórgia, Arkansas e Mississippi devem embarcar em caravanas com destino a New Orleans para votar, informou Ginny Goldman, da Associação de Organizações Comunitárias para Reforma Agora (ACORN), que organizou as viagens. A eleição, marcada para fevereiro, teve de ser adiada por causa dos danos deixados pelo Katrina. Antes do Katrina, New Orleans tinha uma população de quase meio milhão de pessoas, sendo 70% negra. Ainda hoje, menos de 200 mil moradores da cidade retornaram, a maioria brancos. Alguns líderes negros tentaram adiar a votação temendo que a comunidade negra perdesse poder político. O atual prefeito, que foi criticado por sua resposta ao furacão, concorre com 22 candidatos. Caso nenhum candidato consiga a maioria dos votos, os dois mais votados irão para o segundo turno no dia 20 de maio.

Agencia Estado,

10 Abril 2006 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.