Eleições francesas devem fortalecer apoio a Sarkozy

Partido do presidente vai conquistar mais assentos no Parlamento, diz pesquisa

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

A expectativa neste domingo, 10, quando os eleitores franceses foram às urnas para votar numa eleição legislativa que é crucial para os planos de reformas de Nicolas Sarkozy, é a de que o presidente conservador reforce sua base de apoio no Parlamento. Sarkozy foi eleito em maio com base numa plataforma de diversas reformas trabalhistas, na educação e na lei e ordem, e, após o segundo turno da eleição, em 17 de junho, ele espera conservar o controle amplo do Parlamento, suficiente para implementar as reformas. As pesquisas de opinião indicam que o partido de Sarkozy, a União por um Movimento Popular (UMP), deverá conquistar mais assentos no Parlamento. "A eleição é um referendo sobre os planos de reforma de Sarkozy", disse Caroline Gaxie, de 35 anos, depois de votar em Nevers, na região central da França. Pesquisas A pesquisa mais recente do instituto de pesquisas BVA indicou que a UMP deverá conquistar pelo menos entre 366 e 419 deputados, uma maioria mais ampla do que os 359 assentos de que dispõe atualmente na Assembléia Nacional, que tem 577 cadeiras. A previsão é a de que os socialistas, que hoje ocupam 149 vagas, conquistem entre 120 e 173 lugares. Espera-se que os partidos menores, como o Comunista e o Verde, conquistem apenas um punhado de cadeiras, e que a Frente Nacional, de extrema direita, não consiga nenhuma. Até o meio-dia pelo horário francês cerca de 22,56%dos eleitores tinham votado, um número maior que os 19,7% que o haviam feito até o mesmo horário na eleição legislativa anterior, de 2002, mas menos do que os 31,21% que tinham votado até o meio-dia no primeiro turno da eleição presidencial de 22 de abril. "Muitas pessoas parecem interessar-se menos pelas eleições legislativas porque pensam que Sarkozy vai conquistar uma maioria grande de qualquer maneira", disse o eleitor parisiense Mikhael Perez, 48 anos. Cerca de 1 milhão de cidadãos dos territórios franceses do além-mar e residentes franceses nas Américas votaram no sábado. A votação na França continental começou às 8 horas de domingo, e os primeiros resultados deve ser anunciados pouco após o fechamento das urnas, às 20 horas (16 horas de Brasília). Presidente popular Em suas primeiras semanas no cargo, Sarkozy vem transmitindo uma imagem de presidente enérgico, reunindo-se com líderes de outros países, anunciando planos de reformas e prometendo implementar algumas medidas novas numa sessão especial do Parlamento no verão. Sua popularidade vem aumentando desde que ele derrotou a socialista Ségolène Royal na eleição presidencial de 6 de maio. Será a terceira vez que os eleitores franceses vão às urnas em menos de dois meses. Os socialistas exortaram seus partidários a comparecerem às urnas no domingo, não cedendo à fadiga eleitoral e à decepção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.