Lena Mucha/The New York Times
Lena Mucha/The New York Times

Eleições na Alemanha: Pesquisas, fatos e números sobre o dia de votação no país 

Pesquisas de opinião conduzidas para emissoras alemãs de TV sugeriram que os eleitores tinham ideias relativamente claras sobre o que esperavam 

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2021 | 07h20

BERLIM - A eleição da Alemanha produziu uma vitória por uma margem pequena para os sociais-democratas sobre os conservadores de Angela Merkel, segundo projeções, mas pesquisas de opinião conduzidas para emissoras alemãs sugeriram que os eleitores tinham ideias relativamente claras sobre o que esperavam: 

Social-democratas no limite 

Uma pesquisa do Infratest para a ARD mostrou que 38% queriam que o SPD liderasse o próximo governo, em comparação aos 28% que torciam pelos conservadores, e mais da metade queria os liberais e os verdes fazendo parte disso. 

Olaf Scholz, do SPD, foi o candidato preferido para ser o novo chanceler para 45% dos eleitores, enquanto o conservador Armin Laschet foi preferido por 20%.

Enquanto a Annalena Baerbock, dos verdes, era a favorita de apenas 14%, 20% acharam que seu partido tinha "as melhores respostas para as questões do futuro", em comparação com 18% para o SPD e 14% para os conservadores.

Sombra de Merkel 

Preocupados sobre o futuro governo alemão, 60% dos entrevistados pelo Forschungsgruppe Wahlen na saída da votação, para a emissora ZDF, disseram que ninguém teria sucesso em preencher a lacuna deixada por Angela Merkel quando ela sair do cargo após 16 anos.

Diferença entre gerações 

A mesma pesquisa mostrou uma forte divisão geracional, com pessoas mais jovens inclinando-se mais para os verdes e para os liberais e os maiores de 65 anos - uma grande parte de uma das sociedades mais velhas do mundo - inclinado para o SPD e os conservadores.

Mudanças no tamanho do Parlamento 

A ZDF estima que o Bundestag terá 740 membros - em comparação aos 709 na última formação. Um efeito colateral de um sistema eleitoral complicado permite ao Parlamento variar enormemente em tamanho. Se o Linke, pairando no limite de 5%, não conseguir entrar, o Parlamento poderia acabar ficando menor.

Berlim apoia os verdes 

Os Verdes não conseguiram manter seu desempenho demonstrado no início da campanha, quando competiam com os conservadores nas principais pesquisas. Mas eles deram ao SPD uma corrida apertada em seu reduto forte de longa data, Berlim: pesquisas sugerem que eles podem ficar com o segundo lugar nessa 'cidade-estado'.

Ex-espião não teve sucesso 

No sul da Turíngia, um polêmico ex-chefe da espionagem doméstica de extrema direita aparentemente não conquistou um assento como conservador. Pesquisas sugerem que Hans-Georg Maassen, que foi forçado a renunciar como o principal caçador de nazistas da Alemanha, teria ficado atrás do herói local Frank Ullrich, um ex-campeão de esqui da Alemanha Oriental, que é o candidato do SPD./REUTERS 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.