Eleições no Zimbábue foram manipuladas, diz premiê

O primeiro-ministro do Zimbábue e um dos principais opositores ao atual governo do país, Morgan Tsvangirai, descreveu as eleições nacionais como uma "enorme farsa". Segundo o premiê, a votação de quarta-feira foi manipulada e não atendeu aos padrões eleitorais regionais ou do continente africano.

AE, Agência Estado

01 Agosto 2013 | 10h50

"É uma eleição falsa que não reflete a vontade do povo. Em nossa opinião, esta eleição é nula e sem efeito", disse Tsvangirai, destacando supostas irregularidades na votação. "Esta eleição foi uma enorme farsa."

Além do premiê, a Rede de Apoio Eleitoral de Zimbábue, um grupo que monitora o processo de votação que não é ligado ao Estado, também afirmou que a eleição foi prejudicada por uma campanha que impedia as pessoas de registrarem seus votos.

"Até um milhão de eleitores foram privados de direitos" de votar, disse Solomon Zwana, presidente da organização. "A eleição está seriamente comprometida."

O chefe da missão de observadores da União Africana, o ex-presidente nigeriano Olusegun Obasanjo disse na quarta-feira que os relatos de irregularidades "serão investigados, mas ainda não foram comprovados".

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, negou as acusações de manipulação e afirmou que as declarações faziam parte de uma campanha de difamação de adversários.

Mais cedo, os aliados do presidente reivindicaram uma "enfática" vitória tanto na disputa presidencial quanto parlamentar através de uma conta no Twitter. No entanto, em seguida, o partido de Mugabe afirmou que retirou a mensagem "não-autorizada" da conta.

O partido ZANU-PF, do presidente Mugabe, disse que esperará os resultados oficiais, que devem ser divulgados pela comissão eleitoral de Zimbábue até segunda-feira.

A Comunidade Sul-Africana de Desenvolvimento (SADC, na sigla em inglês) afirmou que vai entregar o seu veredicto sobre a eleições presidenciais e parlamentares do Zimbábue na sexta-feira, segundo Leefa Martin-Penehupifo, porta-voz da organização intergovernamental de 15 membros.

A Comunidade Sul-Africana de Desenvolvimento tem agido como um dos principais mediadores na crise de Zimbábue.

A Comissão Eleitoral do Zimbábue também afirmou nesta quinta-feira que a contagem foi concluída e os resultados já estão sendo recolhidos. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
zimbábue eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.