Eleições parlamentares testam democracia no Cazaquistão

País da Ásia central nunca tem a sua primeira eleição internacionalmente reconhecida

Reuters,

18 de agosto de 2007 | 15h08

Eleitores escolheram os membros do Parlamento neste sábado, 18, no Cazaquistão. O pleito, visto como um teste para a democracia local, deve resultar na formação de maioria pelo partido do presidente Nursultan Nazarbayev. O país da Ásia Central, forte produtor de petróleo, nunca teve uma eleição reconhecida internacionalmente como livre e justa, mas Nazarbayev, no poder desde os tempos soviéticos (1989), busca aprovação ocidental. Dois importantes fatores nas eleições serão se o partido de oposição social-democrata (ANDSP) conquistará algum assento e o veredicto dos observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE). Nazarbayev deseja que seu país assuma em 2009 a presidência da OSCE, um órgão que promove a democracia e segurança e que conta com 56 integrantes, mas sua candidatura enfrenta resistência devido à inexistente tradição democrática do Cazaquistão. O presidente convocou eleições dois anos antes do previsto após a adoção de emendas constitucionais que outorgam à câmara baixa do Parlamento (o Mazhilis) mais poderes, como o de nomear o primeiro-ministro. As reformas, porém, também serviram para remover qualquer limitação sobre o número de mandatos que Nazarbayev pode servir como presidente. "Votei no partido que continuará a liderar nosso país rumo a paz, concórdia, irmandade e estabilidade", declarou ele após votar no sábado. Até às 16h do horário local, as autoridades disseram que 52% dos eleitores haviam comparecido para votar. Os índices de comparecimento foram mais baixos em Almaty, bastião da oposição, onde apenas 16,5 por cento haviam votado. A oposição disse ter reunido provas fotográficas de fraude eleitoral, como pessoas votando múltiplas vezes e a presença de material de propaganda do partido de Nazarbayev junto às urnas. "Temos de ver como transcorrem a contagem dos votos, será mais fácil darmos uma opinião sobre a eleição no domingo de manhã", disse Oraz Zhandosov, líder do ANDSP. A OSCE também deve divulgar um parecer inicial sobre as eleições do país no domingo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesParlamentoCazaquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.