Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Eleições presidenciais paraguaias transcorrem em clima de tranquilidade

Estão na disputa o multimilionário Horácio Cartes, do Partido Colorado, e o liberal Efraín Alegre

ROBERTO SIMON / ENVIADO ESPECIAL,

21 de abril de 2013 | 15h11

ASSUNÇÃO - Milhões de paraguaios estão indo às urnas neste domingo, 21, para decidir quem será seu próximo presidente: o multimilionário Horacio Cartes - candidato do Partido Colorado acusado de associação com o crime organizado -, ou o advogado Efraín Alegre, liberal que foi ministro do governo de Fernando Lugo, mas, em junho, ajudou a derrubá-lo do poder.

Até o início da tarde, nenhum grave incidente havia sido registrado. Como as pesquisas de intenção de voto são poucos confiáveis, poucos se arriscam a tentar adivinhar quem será o vencedor. O resultado oficial sai hoje à noite. Ambos os candidatos garantiram que aceitarão a decisão do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE).

"Nosso sistema eleitoral tem credibilidade absoluta", disse Cartes, em uma entrevista coletiva de manhã, antes de depositar o voto em um bairro de Assunção. Ontem, seu partido havia denunciado os vínculos de um instituto de boca de urna com os liberais e a transmissão de informações secretas da apuração para o vice da chapa rival, Rafael Filizzola.

Alegre saudou o aparente alto comparecimento na votação. "As seções eleitorais estão abarrotadas", disse após votar em Lambaré, cidade ao lado de Assunção.

Nas zonas eleitorais pelas quais passou o Estado, o clima era de tranquilidade. Paraguaios escolhem hoje senadores, deputados e governadores, além do presidente.

"O principal é trabalhar para os pobres, é isso que esperamos", afirmou Nilse Gabriela, de 18 anos, que votou em uma escola ao lado de uma favela de Assunção.O horário de encerramento da votação é às 18 horas (horário de Brasília).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.