Eleitor francês mostra indefinição sobre 2002

O pleito municipal francês constitui uma dupla advertência, paradoxalmente aos dois principais candidatos à sucessão presidencial em 2002, o primeiro ministro Lionel Jospin e o presidente Jacques Chirac. Nenhum dos dois encontra-se em condições de cantar vitória e os resultados não permitem também projetar o favoritismo de ambos, revelando mais uma vez que a próxima eleição continua inteiramente aberta, bem como o pleito legislativo que, ao que tudo indica, deverá ocorrer meses depois.A vitória dos socialistas em Paris, entretanto, corresponde ao fim do "sistema Chirac " na capital, um feudo político que ele controlou durante quase 25 anos.Tão logo a vitória da esquerda foi anunciada em Paris e Lyon, começou o acerto de contas , tendo o candidato dissidente, Jean Tiberi, acusado Philippe Séguin pela derrota, recusando-se a autorizar a fusão das listas conservadoras entre os dois turnos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.