Jim Watson, Saul Loeb/AFP
Jim Watson, Saul Loeb/AFP

Eleitores americanos dizem o que pensam da disputa de 2020

Cidadãos dos EUA escolherão entre Donald Trump e Joe Biden nesta terça-feira, 3

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2020 | 17h16

Nas semanas que antecederam a eleição presidencial dos EUA desta terça-feira, 3, dezenas de eleitores americanos foram ouvidos sobre as questões mais polêmicas que permeiam a disputa entre o presidente e candidato a reeleição Donald Trump e o democrata e ex-vice-presidente Joe Biden.    

Veja as respostas de alguns desses eleitores:

'Não tenho esperança'

Morador da cidade Baltimore, em Maryland, o jovem Demon Lane, de 27 anos, está entre os afro-americanos que perderam a esperança e acreditam que seu bairro continuará a ser atormentado pelo tráfico de drogas e negligenciado pelas autoridades, independentemente de quem vença as eleições.

"Não houve diferença com os três últimos presidentes. Portanto, não haverá diferença com o próximo. Não tenho esperança. A única coisa que tenho esperança está em mim mesmo, no que posso fazer pela minha família."

'Trump é um rebelde'

Brian Milo, um ex-trabalhador da GM despedido quando a fábrica de Ohio fechou, diz que continua com Trump de qualquer maneira.

"Gosto de um tipo de negócio e gosto que seja obstinado. A América foi, de alguma forma, fundada por pessoas que eram rebeldes, e Trump é como um rebelde."

Milo o perdoa por nem mesmo cumprir sua promessa de reanimar a indústria de manufatura no chamado "Cinturão de Ferrugem" do Meio-Oeste: "Acho que foi algo que ele prometeu e talvez não tivesse capacidade para cumprir".

'Racista'

Brook Manewal, co-fundadora do Grupo de Mulheres Suburbanas Anti-Trump  de Connecticut, responde às afirmações do presidente de que Joe Biden "destruirá seu bairro e seu sonho americano" com casas de baixo custo.

"Fiquei chocada com a forma como ele estava tentando vender esta imagem da mulher suburbana estando do seu lado e sendo tão racista. Ele nos pinta como pessoas que tem medo de perder nossas cercas brancas, nossas casinhas perfeitas e nossos pátios perfeitos, e jamais encontrei pessoas assim."

'Isso vai sair do controle?'

Bill Burke, um professor de história de 55 anos que mora na rua onde Biden viveu até seus 10 anos em Scranton, Pensilvânia, adverte contra a confiança nas pesquisas.

"Nenhum democrata nos EUA está confiante porque o resultado de 2016 nos pegou de surpresa, até mesmo Donald (Trump). A maioria dos democratas está olhando para as boas notícias, os números das pesquisas e tudo, enquanto seu cérebro diz "Ok, onde está a ameaça? Como isso vai sair do controle?"

'Trate as pessoas com respeito'

Dan Barker, um juiz aposentado de 67 anos e republicano de longa data que fundou o Arizona Republicans com Biden com sua esposa, deu as costas ao presidente por discordar de seu comportamento, com base em sua fé mórmon.

“Acreditamos que as pessoas devem ser tratadas com respeito. Se os dois candidatos fossem iguais, eu votaria naquele que se opõe ao aborto por escolha. Mas esses dois candidatos não são iguais. Um deles, do meu ponto de vista, vai construir e fortalecerá nossa democracia, enquanto o outro acredito que, se continuar nesse caminho, terá um impacto extremamente negativo em nossa democracia."

'Contra os burocratas'

Jim e Sue Chilton, fazendeiros do Arizona, dizem que Trump correspondeu ao que esperavam quando assumiu o cargo, porque sua administração reduziu a burocracia.

"Para fazermos qualquer coisa em nossas terras privadas, tínhamos que obter licenças e a administração Trump removeu (tais) requisitos. Não preciso mais ter uma licença para fazer nada em minhas terras privadas", disse Jim Chilton, 81 anos.

'Um homem assim não deveria governar o país'

Oscar Walton diz que não votou em 2016 porque não sentiu que nem Trump nem Hillary Clinton falassem por ele. Entretanto, o assistente social e músico de 28 anos de Wisconsin vai se certificar de votar em Biden desta vez, embora não porque ele tenha se inspirado no candidato de 77 anos.

"Eu honestamente sinto que precisamos tirar Trump de lá. O principal motivo para mim? Bem, ele é um racista sistêmico. Ponto final. Um homem assim não deveria governar o país." /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.