Eleitores árabes abandonam Barak

Os locais de votação ficaram em geral desertos nesta terça-feira, nas comunidades árabe-israelenses, já que muitos moradores, revoltados com o primeiro-ministro Ehud Barak, preferiram ficar em casa no dia da eleição.O boicote em larga escala - sem precedentes entre a minoria árabe de 1,2 milhão de pessoas em Israel - foi provocado por uma série de frustrações com Barak e acabou enterrando suas esperanças de uma reviravolta de última hora entre este crucial eleitorado. O primeiro-ministro não cumpriu sua promessa de igualar os cidadãos árabes aos demais israelenses, e sua forte repressão a protestos antigovernamentais em outubro - 13 árabe-israelenses foram mortos a tiros pela polícia - aprofundaram o sentimento de amargura.O comparecimento às urnas em comunidades árabes estava ao redor de 20 por cento ao anoitecer, duas horas antes do fim da votação. Em 1999, mais de 70 por cento dos 500.000 eleitores árabes votaram. Desses, 95% apoiaram Barak. Em Umm el-Fahem, uma cidade árabe de 30.000 habitantes, cerca de 65 quilômetros ao norte de Tel Aviv, apenas 840 dos 15.000 eleitores haviam comparecido às urnas até o meio da tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.