Eleitores de Nova York não querem mesquita na cidade

A maioria dos eleitores do Estado de Nova York se opõe à construção de uma mesquita, proposta como parte de um centro islâmico perto do Marco Zero, local onde ficava o World Trade Center, um dos alvos do atentado de 11 de setembro de 2001.

AE-AP, Agência Estado

18 de agosto de 2010 | 18h23

O tema será levado em conta por vários candidatos nas eleições deste ano, segundo uma pesquisa divulgada hoje. A pesquisa da Faculdade Siena mostra que 63% dos eleitores do Estado consultados se opõem ao projeto, enquanto 27% apoiam a construção. Duas semanas atrás, 64% eram contrários e 28% favoráveis. A margem de erro é de 3,5 pontos porcentuais.

O Partido Democrata, incluindo o presidente Barack Obama, defende a proposta, afirmando que ela está protegida pela garantia constitucional de liberdade religiosa. Já no Partido Republicano muitos consideraram a obra uma afronta às vítimas do ataque de 2001.

Uma pesquisa da CNN/Opinion Research divulgada na semana passada afirmou que quase 70% dos norte-americanos se opunham ao plano da mesquita. Já 29% aprovavam a iniciativa. Quase 64% dos consultados admitiram que existe o direito na Constituição para se construir a mesquita. Para 28%, esse direito não existe.

Eleições

Quase 25% dos eleitores questionados afirmaram que o tema terá um grande efeito na escolha para o candidato a governador este ano. Para 37% dos entrevistados, a questão terá algum efeito, enquanto para 40% o tema não é importante na disputa eleitoral. O Estado de Nova York é em sua maioria conservador, enquanto na cidade a maioria é democrata.

A pesquisa mostrou o republicano Carl Paladino, que assumiu a postura mais dura contra o projeto entre os candidatos, à frente do rival Rick Lazio para a disputa das primárias de 14 de setembro. O democrata Andrew Cuomo, porém, aparece à frente nas pesquisas gerais para o governo. Cuomo defende o projeto, argumentando que é uma obra protegida pela Constituição.

Tudo o que sabemos sobre:
mesquitamarco zeroNova York

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.