Eleitores vão às urnas no Kuweit; economia lidera preocupações

Os eleitores do Kuweit foramàs urnas para as eleições parlamentares no sábado, na esperançade eleger novos nomes, acabar com disputas políticas eimpulsionar reformas econômicas. Cerca de 275 candidatos disputam assentos na AssembléiaNacional de 50 membros. Entre eles, 27 mulheres tentam seeleger, depois de nenhuma mulher ter obtido sucesso em 2006. As mulheres conquistaram o direito a voto e a se eleger em2005, mas enfrentam uma difícil batalha para atrair eleitoresno país do Golfo Pérsico, onde muitos acreditam que o lugar damulher é em casa. "Sou contra as mulheres no Parlamento. Acho que todos devempermanecer em seu lugar", disse Samira al-Azm, eleitora na casados 50 anos. Quase 362 mil kuweitianos, mais da metade mulheres, podemvotar, mas o comparecimento estava fraco pela manhã. Até omeio-dia, 25,6 por cento dos eleitores haviam votado, segundo aagência oficial de notícias Kuna. O líder do Kuweit, xeque Sabah al-Ahmad al-Sabah, dissolveuo Parlamento em março para dar fim a um impasse com seuGabinete. As disputas estavam atrasando as reformas políticasque visam preparar o Kuweit para quando terminarem suas vastasreservas de petróleo. O último Parlamento se concentrou em questionar ministrossobre sua conduta, forçando muitos a se demitir. O país membroda Opep precisa indicar um ministro do Petróleo, uma vez que apasta está vaga desde novembro. Em meio às disputas políticas, reformas, como uma lei paraatrair investimento estrangeiro, foram deixadas de lado. (Por Ulf Laessing e Rania El Gamal)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.