Reuters
Reuters

ELN matou 2 caminhoneiros, dizem fontes do Exército colombiano

Ataque da guerrilha teria acontecido no Departamento (Estado) de Arauca, na fronteira com a Venezuela, depois de os motoristas se recusarem a parar durante uma interceptação

O Estado de S. Paulo

28 de outubro de 2016 | 10h30

BOGOTÁ - Guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) assassinaram na quinta-feira, 27, dois motoristas de caminhão e queimaram seus veículos em uma estrada do Departamento (Estado) de Arauca, na Colômbia, que fica na fronteira com a Venezuela, informaram fontes militares.

Segundo um comunicado das Forças Militares da Colômbia, membros da comissão "Omaira Montoya Hainaut" e da frente "Domingo Laín Sáenz" do ELN, "queimaram dois veículos particulares" e "assassinaram seus dois motoristas" em uma via do município de Fortul.

Os veículos foram interceptados e diante da recusa dos motoristas para parar "foram atacados e obrigados a descer para posteriormente serem mortos a tiros", disseram as fontes.

O incidente aconteceu horas depois da suspensão da instalação da mesa de diálogo de paz, prevista para também para a quinta-feira, em Quito (Equador), pois a guerrilha, de acordo com o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, não libertou o ex-congressista Odín Sánchez Montes de Ganso, sequestrado há seis meses.

Após a decisão presidencial, o ELN expressou no Twitter que não compartilhava a suspensão da instalação da mesa e acrescentou que vai tentar "reprogramar" a atividade para "os próximos dias". / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.