Em 4 dias, explosões em minas fazem 88 mortos na China

Pelo menos nove mortos em mais dois acidentes elevaram para 88 o número de vítimas fatais nos últimos quatro dias em explosões nas minas de carvão chinesas. Diante desta situação, Administração Estatal de Segurança do Trabalho reconheceu que o setor é "infestado de ilegalidades". O último acidente, confirmado nesta terça-feira, aconteceu no domingo à noite. Trata-se da explosão de um poço ilegal na localidade de Yongshan, na província de Jiangxi, que fez ao menos dois mortos. Mas o número de mortos pode ser maior, já que não se sabe quantos mineiros trabalhavam no momento do acidente. Outros sete mineiros do poço adjacente, também ilegal, ficaram feridos. Dois estão desaparecidos. Os trabalhos das equipes de resgate estão sendo dificultadas pelo incêndio nas minas, cujos donos fugiram, informou a agência estatal Xinhua. Outros sete mineiros morreram num acidente que ocorreu na segunda-feira, na província de Guizhou, confirmou a imprensa oficial. Numa mina do grupo Shuicheng, 11 trabalhadores ficaram soterrados pela queda de grande quantidade de carvão no qual buscavam impurezas. Só quatro foram resgatados vivos. Na segunda-feira, o diretor da Administração Estatal de Segurança do Trabalho, Li Yizhong, disse que algumas minas ilegais continuam operando apesar das ordens de fechamento dadas pelo governo. Segundo ele, a gestão de segurança é "caótica" em alguns poços, com excesso de produção e problemas de pessoal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.