REUTERS/Clodagh Kilcoyne
REUTERS/Clodagh Kilcoyne

Em Belfast, Santos analisa processo de paz da Colômbia e da Irlanda do Norte

Presidente colombiano se encontra com autoridades do governo compartilhado entre católicos e protestantes e depois prestará homenagem a políticos norte-irlandeses que contribuíram para o lançamento do processo de negociação na Colômbia

O Estado de S. Paulo

03 de novembro de 2016 | 14h50

BELFAST - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, chegou nesta quinta-feira, 3, a Belfast, capital da Irlanda do Norte, para se reunir com os líderes do governo autônomo de poder compartilhado entre católicos e protestantes, com o quais analisará o andamento de seus respectivos processos de paz.

Santos foi recebido no Castelo de Stormont, sede da Assembleia norte-irlandesa, pela ministra-chefe, Arlene Foster, uma unionista, e por seu adjunto no Executivo, o nacionalista republicano, Martin McGuinnes.

O presidente colombiano analisará com ambos o paralelismo existente entre o processo democrático lançado pela província britânica há quase duas décadas e o colombiano, ainda em andamento, assim como os benefícios sociais e econômicos gerados para a sociedade em decorrência da paz.

Depois desta reunião, Santos se encontrará com o ministro britânico para a Irlanda do Norte, James Brokenshire, e fará um discurso com representantes sociais e empresariais da região na atração turística "Titanic Belfast".

A visita de um dia à Irlanda do Norte será concluída com um encontro com várias organizações não governamentais que trabalham em Belfast para eliminar as tensões sectárias que ainda afetam algumas regiões da capital.

O Presidente colombiano, ganhador do Prêmio Nobel da Paz deste ano por seus esforços para encerrar o conflito em seu país, também renderá uma homenagem aos políticos norte-irlandeses que, graças a sua experiência, contribuíram para o lançamento do processo de negociação na Colômbia.

Santos concluirá nesta quinta, em Belfast, sua viagem de Estado de três dias ao Reino Unido, a primeira de um mandatário colombiano, que realiza acompanhado de sua mulher, María Clemencia Rodríguez de Santos, a convite da rainha Elizabeth II. 

Avaliação. Uma pesquisa divulgada na quarta-feira mostrou que 53% dos colombianos acham que as negociações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) seguem em uma boa direção. O índice é 11 pontos percentuais maior do que pesquisa feita há dois meses.

O estudo também constatou que, 41% dos colombianos creem no oposto, ou seja, que os diálogos com as Farc, a principal e mais antiga guerrilha do país, estão em um caminho ruim - eram 52% com esta opinião em agosto, segundo o levantamento feito pela Gallup.

Por outro lado, a aprovação do desempenho de Santos subiu cinco pontos em dois meses, ao passar de 29% em agosto da 34% em outubro. Já os colombianos que desaprovavam a gestão do mandatário caíram de 66% para 60% no mesmo período.

A pesquisa foi realizada por telefone com 1,2 mil pessoas maiores de 18 anos e moradoras das cidades de Bogotá, Medellín, Cali, Barranquilla e Bucaramanga entre os dias 20 e 30 de outubro - semanas depois do plebiscito realizado no dia 2 de outubro, que decidiu pela não aceitação ao acordo. / EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.