Em Caracas, escritor ataca regime

Um dia após ser retido no aeroporto, Vargas Llosa diz que ?Venezuela está se tornando uma ditadura comunista?

Efe e AFP, CARACAS, O Estadao de S.Paulo

29 de maio de 2009 | 00h00

Um dia depois de ser retido brevemente no aeroporto de Caracas,o escritor peruano Mário Vargas Llosa fez um discursona capital venezuelana na qual acusou o presidente Hugo Chávezde estar transformando a Venezuela numa "ditadura comunista"."Não há dúvida que o processo em curso aproxima aVenezuela de uma ditadura comunista", disse Vargas Llosa,num fórum sobre liberdade e democracia."A ameaça de um apagão no campo das liberdadesde imprensa e expressão cresceu muitíssimo, mas aindahá alguns espaços livres e precisamos aproveitá-los se quisermos que a Venezuela não se converta em uma segunda Cuba."Durante o encontro, o escritor e outras personalidadesprestaram apoio à TV opositora Globovisión, que vem sendoameaçada por Chávez. À tarde, a promotoria venezuelanaanunciou que processará o dono da Globovisión, GuillermoZuloaga (que também tem uma distribuidora da Toyota), por irregularidades na compra de 24 automóveis de luxo.Vargas Llosa costuma criticar Chávez em artigos escritospara o jornal italiano La Stampa e reproduzidos pelo Estado.Ao chegar a Caracas, na quarta-feira, ele foi advertido por um funcionário da alfândega que, "como estrangeiro, não tem direitode fazer declarações políticas na Venezuela".Ontem, num episódio especial de seu programa Alô, Presidente!(mais informações nesta página), Chávez negou que VargasLlosa tenha sido retido no aeroporto e convidou os integrantes do fórum sobre liberdade para debater, no ar,com "revolucionários".O presidente também exigiu que ministros e autoridades do órgão de regulamentação do setor de telecomunicações "tomematitudes" contra as TVs e rádios opositoras - ou peçam demissão."Que renunciem para ser substituídos por gente de coragem",disse Chávez. "Se eles não fizerem o que precisa ser feito, terei de agir.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.