Em caravana pelo interior, presidente vira só candidato

Barack Obama atravessará de ônibus três Estados do Meio-Oeste americano entre os dias 15 e 17 para explicar à gente comum que seu governo não está inerte nem insensível à crise. O recado não tem chegado aos grotões da América.

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2011 | 00h00

A melhoria da economia - e a consequente queda do desemprego - é o único caminho para Obama vencer em novembro de 2012. Como não há limite claro na legislação americana sobre ações do presidente-candidato, a Casa Branca organizou um giro por Minnesota, Iowa e Illinois, com clara motivação eleitoral. Valeu-se de um artifício usado muitas vezes pela oposição, especialmente pelo Tea Party, no pleito do ano passado para o Congresso - as caravanas de ônibus.

Os dois primeiros Estados são terrenos minados para Obama. Minnesota é o berço político de dois de seus potenciais concorrentes republicanos - o governador Tim Pawlenty e a deputada federal Michele Bachmann, do Tea Party. Iowa é um Estado imprevisível e foi palco do último debate dos pré-candidatos republicanos, no dia 11, organizado pela rede de TV conservadora Fox News. A caravana termina na democrata Illinois, lar político de Obama e a sede de sua campanha para 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.