Arquivo/Reuters
Arquivo/Reuters

Em carta, imprensa francesa se solidariza com Charlie Hebdo após novas ameaças da Al-Qaeda

Revista satírica voltou a receber ameaças ao publicar caricatura de Maomé no início de setembro; julgamento do atentado de 2015 está em andamento

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2020 | 04h23

PARIS - Centenas de veículos de imprensa franceses publicaram nesta quarta-feira, 23, uma carta aberta em solidariedade à revista satírica Charlie Hebdo, que recebeu novas ameaças do grupo jihadista Al-Qaeda após publicar caricaturas de Maomé

"Após a publicação da caricatura de Maomé no dia 2 de setembro, o Charlie Hebdo foi novamente ameaçado por organizações terroristas. Ameaças que constituem uma verdadeira provocação durante o período de julgamento dos atentados de 2015", disse Hiss, diretor da publicação. "As ameaças vão além do Charlie Hebdo porque são direcionadas a toda a imprensa e ao presidente da República."

"Graças a uma mobilização histórica dos meios de comunicação franceses, que publicaram conjuntamente esta carta aos nossos cidadãos, desejamos enviar uma forte mensagem para defender nossa concepção de liberdade de expressão e, acima de tudo, a liberdade de todos os cidadãos franceses", afirmou Riss. 

O julgamento do atentado de 7 de janeiro de 2015, que deixou 12 mortos, entre eles vários jornalistas e caricaturistas do Charlie Hebdo, está em andamento em Paris e deve durar até o dia 10 de novembro. 

Nesta terça-feira, 22, uma das responsáveis pela revista, Marika Bret, revelou que teve que abandonar a própria residência após receber ameaças de morte que a polícia considerou reais./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.