STR/KCNA VIA KNS/AFP
STR/KCNA VIA KNS/AFP

Em carta, Kim agradece aos norte-coreanos por apoio em 'tempos difíceis'

Imprensa sul-coreana afirma que é a primeira vez desde 1995, ocasião do mesmo gesto feito pelo pai, Kim Jong-il, que um líder norte-coreano envia uma carta de ano-novo a seus compatriotas

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2021 | 15h58

SEUL - Kim Jong-un agradeceu aos norte-coreanos por seu apoio em "tempos difíceis", em uma carta manuscrita de ano -novo divulgada nesta sexta-feira, 1°, às vésperas do congresso do partido governista que definirá os objetivos econômicos do país. Ele escolheu enviar sua mensagem por carta em vez de seu tradicional discurso de ano-novo.

A mensagem pessoal foi dada após a exibição de fogos de artifício, cantos e danças, por ocasião do ano-novo na Praça Kim Il-sung, na capital, apesar da pandemia do coronavírus. A Coreia do Norte garante que está livre do vírus.

Kim costuma pronunciar um discurso televisionado em 1º de janeiro, acompanhado com atenção pelos analistas, em busca de qualquer sinal sobre os rumos deste Estado comunista. No último ano, ele o substituiu por algumas palavras que havia falado em um encontro do partido no ano anterior.

Em 2021, também não deve fazer seu discurso televisionado, às vésperas do primeiro congresso do país em cinco anos. Segundo a imprensa estatal, que ainda não divulgou detalhes, o evento acontecerá no início de janeiro.

"No novo ano, também vou trabalhar duro para trazer antes a nova era, na qual se tornem realidade os ideais e desejos do nosso povo", disse Kim, depois de desejar a todas as famílias do país "boa saúde", conforme a carta publicada pela Agência de Imprensa Central Coreana.

"Agradeço pela confiança e pelo apoio ao nosso Partido nesses tempos difíceis", acrescentou, em uma suposta referência às dificuldades econômicas geradas pelas sanções internacionais e às medidas para conter o coronavírus.

A imprensa sul-coreana afirma que é a primeira vez desde 1995, ocasião do mesmo gesto feito pelo pai de Kim, Kim Jong-il, que um líder norte-coreano envia uma carta de ano-novo a seus compatriotas.

Kim também visitou o Palácio do Sol de Kumsusan, nos arredores de Pyongyang, à meia-noite, de acordo com a KCNA, onde estão enterrados seu avô - fundador da Coreia do Norte, Kim Il-sunge - e seu pai.

O congresso, que deve adotar um novo plano econômico e político, será o primeiro em cinco anos e o oitavo na história da Coreia do Norte. Em 2016, foi realizado o primeiro congresso em 36 anos na Coreia do Norte.

A previsão é que o evento ocorra antes da posse de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, em 20 de janeiro. As negociações nucleares entre Estados Unidos e a Coreia do Norte estão paralisadas desde o fracasso do presidente Donald Trump e da cúpula de Kim em Hanói, no início do ano passado./  AFP e EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.