Em coma desde 2006, Ariel Sharon deixará hospital em Israel

Ex-primeiro ministro deve ser transferido para rancho de sua família nos próximos dias

estadão.com.br,

11 de novembro de 2010 | 16h23

Escultura de cera representa Sharon em hospital. Foto: Nir Elias/Reuters

TEL AVIV - O ex-primeiro-ministro de Israel Ariel Sharon, internado em coma em um hospital desde janeiro de 2006, deve ser transferido para o rancho de sua família, no deserto do Negev.

De acordo com o ex-assessor de Sharon Raanan Gissin, a transferência será feita nos próximos dias. "Não podemos divulgar as datas por questões de segurança", disse ao jornal britânico The Guardian. De acordo com Gissin, Sharon respira sem aparelhos, embora ocasionalmente necessite de uma máscara de oxigênio.

Sharon, de 82 anos, sofreu um derrame cerebral em janeiro de 2006 e desde então está internado em coma profundo no hospital de Sheba, em Tel Aviv.

A fazenda era um dos lugares preferidos de Sharon para descansar, enquanto governou Israel, entre 2000 e 2006. O corpo da mulher do ex-premiê está enterrado no rancho.

Sharon comandou o Exército israelense na guerra do Líbano em 1982, quando foi acusado de liderar ataques a civis em Shabra e Shatila. Em 2000, sua visita à mesquita de Al-Aqsa, detonou os protestos que levaram à segunda Intifada palestina.

Em 2005, Sharon promoveu a retirada de colonos israelenses da Faixa de Gaza. Afastou-se do Likud e criou um novo partido, o centrista Kadima. Após o derrame, foi sucedido por Ehud Olmert.

Tudo o que sabemos sobre:
Ariel SharonIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.