BIDEN CAMPAIGN HANDOUT via REUTERS
BIDEN CAMPAIGN HANDOUT via REUTERS

Em comício inaugural de primária democrata, Biden promete união

Pré-candidato democrata concentra esforços para campanha primária na Pensilvânia, um dos Estados que devem ser decisivos na eleição em 2020

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2019 | 18h23

WASHINGTON - O ex-vice presidente americano Joe Biden fez neste sábado, 18, seu primeiro comício para as primárias do Partido Democrata com um apelo de união contra o presidente Donald Trump. Favorito nas pesquisas, com mais de 20 pontos de vantagem para os outros candidatos, ele deve disputar a nomeação com outros 23 pré-candidatos. 

“Apenas raiva contra o ‘divisor em chefe’ não será suficiente para vencer a eleição”, disse Biden diante de uma multidão de 6 mil pessoas na Pensilvânia. “Muitas pessoas dizem que é preciso muita raiva para conseguir a nomeação, mas eu não acredito nisso. Nós precisamos de união.”

Desde que entrou na disputa, no mês passado, Biden, de 76 anos, tem amplamente ignorado os outros 23 pré-candidatos democratas, preferindo treinar sua mira no republicano Trump.

Em troca, Trump tem regularmente atacado Biden, antecipando em mais de um ano o clima de eleição geral da corrida presidencial de 2020.

O comício ao ar livre de Biden na Filadélfia, onde ele estabeleceu seu quartel-general de campanha, demonstra a importância da Pensilvânia para as expectativas de vitória dos democratas no ano que vem. Em 2016, Trump superou Hillary por pouco no Estado.

Depois da passagem de Biden, Trump promoveu um evento próprio na segunda-feira, na parte nordeste do Estado.

Biden, porém, não poderá se dar ao luxo de ignorar os demais pré-candidatos democratas por muito mais tempo. Com as pesquisas de intenção de voto dando a ele larga liderança, outros postulantes começam a tê-lo como alvo.

Uma adversária em ascensão é a senadora Kamala Harris, que nesta semana ridicularizou os apelos de apoiadores de Biden para que ela seja vice dele na chapa democrata. Ela respondeu que deveria ser ao contrário. “Como vice-presidente, ele já provou que sabe desempenhar o trabalho”, disse./ REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.