Em crise com Executivo, juízes renunciam no Paquistão

Mais cinco juízes paquistaneses renunciaram nesta segunda-feira, 19, em protesto contra a decisão do presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, de afastar o presidente da Suprema Corte do país. Musharraf suspendeu o magistrado Iftikhar Mohammed Chaudhry em 9 de março, com base em acusações não detalhadas de abuso de poder.Ao mesmo tempo, centenas de advogados protestaram no Paquistão pelo mesmo motivo.A decisão de Musharraf desencadeou protestos de advogados e de ativistas de oposição em todo o país. Em resposta, a polícia paquistanesa deteve centenas de pessoas no últimos dias.Os críticos acusam Musharraf, um general que assumiu o governo depois de um golpe palaciano aplicado em 1999, de ter afastado Chaudhry para tirar do caminho um magistrado considerado independente nos meses que antecedem uma nova eleição no país. O governo nega que o afastamento tenha motivação política.Hoje, mais cinco juízes paquistaneses renunciaram em protesto contra o afastamento de Chaudhry. Na semana passada, um juiz já havia renunciado pelo mesmo motivo.Em Karachi, mais de mil advogados participaram de um protesto no qual exigiram a libertação do juiz e a renúncia de Musharraf. Os advogados boicotaram as audiências desta segunda-feira e prometeram uma paralisação para domingo, quando ocorrerá uma nova sessão do painel de juízes que apura as acusações contra Chaudhry.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.