Efe
Efe

Em crítica à reeleição de opositor, Correa sugere buscar 3º mandato

Líder equatoriano acusa oposição de 'dupla moral' ao defender quarto mandato para prefeito

O Estado de S. Paulo,

11 de outubro de 2013 | 13h00

QUITO - O presidente do Equador, Rafael Correa, usou a campanha pela prefeitura de Guayaquil para criticar o prefeito opositor Jaime Nebot, que disputará seu quarto mandato à frente da cidade, e sugerir à oposição um referendo que permita a reeleição indefinida para cargos do Executivo.

Em discurso durante cerimônia do aniversário da libertação de Guayaquil do controle espanhol, Correa acusou a oposição de ter "uma dupla moral", por apoiar a candidatura de Nebot a um quarto mandato e acusá-lo de tentar reformar a Constituição para reeleger-se pela terceira vez.

Nebot comanda a prefeitura desde 2000, mas sua longa permanência à frente da cidade só foi possível porque a Constituição de 2008 proposta por Correa "zerou" os mandatos para cargos executivos e estabeleceu um teto de apenas uma reeleição, em âmbito municipal, provincial e federal. A votação ocorre no ano que vem.

"Não descarto aproveitar a consulta sobre a exploração de petróleo em Yasuní para consultar o povo equatoriano sobre a reeleição indefinida (para todos os cargos executivos)", disse Correa, de acordo com o diário El Comercio. "Vamos ver se continuam com os mesmos argumentos e se seu entusiasmo pela continuidade e reeleição dura por mais muito tempo."

Pouco antes de ser reeleito para um segundo mandato, em fevereiro deste ano, Correa declarou que não pretende reformar a Constituição. Em agosto, o tema já havia sido abordado pela presidente do Legislativo, Gabriela Rivadeneira, ao anunciar que uma comissão começaria a buscar formas de fazer a reforma.

Segundo o jornal El Universo, deputados da Alianza País, o partido do presidente, são simpáticos à ideia. "Presumo que o presidente disse, diante da possibilidade de uma consulta, que teremos que dar a oportunidade de colocar a pergunta para os cidadãos, que dirão se estão ou não de acordo. Rafael Correa tem recebido o respaldo dos cidadãos, é oportuno considerar essa preocupação", disse a deputada Gina Godoy.

 
Tudo o que sabemos sobre:
Rafael CorreaEquadorConstituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.