Em debate, pré-candidatos republicanos focam críticas em Obama

Candidatos pela nomeação republicana criticaram reforma da saúde e rumos da economia americana

BBC Brasil, BBC

13 de junho de 2011 | 23h51

 

Debate entre os sete pré-candidatos foi promovido pela rede de televisão CNN             

 

 

WASHINGTON - Sete pré-candidatos republicanos realizaram na noite desta segunda-feira, 13, seu primeiro debate presidencial para as eleições de 2012 nos EUA, focando suas críticas na condução da economia no governo de Barack Obama.

Os candidatos disputam entre si a nomeação do Partido Republicano, para concorrer com o democrata Obama, que tentará a reeleição.

Os republicanos, que realizarão suas primárias a partir de fevereiro, evitaram atacar uns aos outros no debate desta segunda. Em vez disso, criticaram a reforma da saúde de Obama e os problemas econômicos enfrentados pelos Estados Unidos.

Até o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, tido como um dos favoritos entre os republicanos, foi poupado pelos demais participantes do debate, apesar de comumente ser alvo de críticas por ter introduzido em seu Estado um plano de saúde semelhante à reforma feita por Obama.

Romney disse que Obama havia "decepcionado" o país, e o ex-líder da Câmara dos Representantes (deputados federais) Newt Gingrich declarou que os EUA precisam de um novo presidente para terminar o que ele chamou de "a depressão (econômica) de Obama".

O ex-governador de Minnesota Tim Pawlenty também criticou o atual presidente dos EUA por supostamente ver os EUA como "mais um (país) igual aos outros", em vez de uma "nação especial".

A deputada por Minnesota Michele Bachmann, membro do movimento conservador Tea Party, usou a ocasião para formalizar sua pré-candidatura.

Temas sociais.  Quando o debate entrou em temas sociais - que geralmente são preocupações importantes entre os eleitores republicanos -, cinco dos sete pré-candidatos disseram que apoiariam uma emenda constitucional que banisse o casamento homossexual.

O congressista Ron Paul se disse contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas opinou que os governos não deveriam se envolver no assunto.

Romney e o ex-senador Rick Santorum afirmaram terem se oposto à lei, aprovada em dezembro de 2010, que permite que homossexuais que servem nas Forças Armadas americanas sejam abertos quanto à sua opção sexual.

A disputa republicana ainda envolve muita especulação por conta da ex-governadora do Alasca Sarah Palin, que é tida como provável pré-candidata apesar de não ter confirmado que entrará na disputa.

Já Obama, que recentemente enfrentou uma queda de popularidade - após alta de aprovação decorrente da morte de Osama Bin Laden -, lidera a preferência dos eleitores contra a maioria dos potenciais candidatos republicanos incluídos no levantamento.

Mas o presidente aparece empatado com Romney, que lançou oficialmente sua campanha com a promessa de reativar a economia e gerar empregos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.