Em dia de celebração, ataques matam xiitas em Bagdá

Uma bomba deixada em um lixo durante a celebração de Ashura em uma cidade curda, próxima à fronteira com o Irã, matou 13 pessoas e feriu outras 39, disse a polícia. Depois de uma hora, um homem-bomba causou uma explosão perto da entrada de uma mesquita xiita, em uma cidade ao sul, também próxima à fronteira com o Irã. Pelo menos 12 pessoas morreram e 40 ficaram feridas.Ao todo, 25 pessoas morreram nas duas explosões causadas durante as celebrações religiosas.A primeira explosão aconteceu por volta das 11h30 e atingiu xiitas que realizavam rituais na cidade de Khanaqin para celebrar o feriado de Ashura, que relembra a morte, em uma batalha, do neto do profeta Maomé, Imam Hussein, 1.300 anos atrás.A polícia disse que a maioria das vítimas são curdos xiitas, que formam grande parte da população da cidade. No entanto, os xiitas são minoria entre os curdos, que são predominantemente sunitas. Um homem bomba ainda causou uma outra explosão em Mandali, que fica ao norte de Bagdá, no meio de 150 xiitas que entravam na mesquita de Ali al-Akbar por volta das 12h30, segundo informações da polícia.Ataque a ônibus que transportava xiitasRebeldes atacaram um ônibus carregando peregrinos xiitas que participavam da Ashura nesta terça-feira, matando pelo menos sete pessoas e ferindo outras sete, disse a polícia.Os homens estavam armados e dirigiam dois carros ao redor do ônibus enquanto atiravam, segundo informação dos policiais. O ataque ocorreu às 10h30 no distrito de Hay al-Amil.A polícia disse que os peregrinos estavam indo para o norte de Kazimiyah, o lugar mais importante mosteiro xiita na capital. Pelo menos sete pessoas morreram e outras sete ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.